Sê valente

Amigos, Feliz dia do amigo! =D

Ainda na corrida para conseguir os laudos acabei por descobrir que tenho um nódulo no pulmão. No momento em que a médica, disse, tão naturalmente da mesma forma que falou que eu tinha seios bonitos, sim, essas coisas acontecem nas minhas consultas. Acho que ficamos bem a vontade. Voltando a noticia, me deu riso de nervoso, mas na minha cabeça gritava um belo “%$#&qPario” como posso ter um nódulo no pulmão, não basta a hérnia discal, os 6 nódulos + 1 cisto na mama, dois miomas nos ovários e uma pedra na vesícula eu ainda tinha que ter um nódulo no pulmão? Nem sentir medo de ser câncer, de verdade, tenho levado tanta porrada com relação a minha saúde que a única coisa que eu penso é que eu preciso resolver isso. Preciso verificar todas as possibilidades. Amanhã começo a realizar os exames, até segunda vou ter tudo feito, quero retornar na médica próxima semana mesmo.

Vou no cirurgião também.

Parece que o menino das borboletas encontrou sua própria borboletas e dou graças a Deus de não ter e envolvido tanto assim, mas agradeço a oportunidade que eu tiver de me sentir viva, saber que eu ainda serei capaz de me relacionar sem sentir um pingo de culpa.

Mês que entra vou dá entrada nos papeis do divorcio e concluir mais essa fase. Ao meu ver o mês de agosto será um divisor de águas em minha vida. Antes, muito antes eu tinha outros planos para esse mês, mas o coração do homem faz planos, porém a resposta vem dos lábios do Senhor. E eu O louvor por isso.

Parece que tudo está dando errado, mas na verdade tudo tem dado certo, eu só não sei onde vou chegar, porém eu sei que será lindo. Tenho aprendido sobre ter fé em tempos nublados, e que não podemos crer pela metade, temos que saber que a nossa ancora é o Senhor, Ele é O que diz: Sê Valente.

Felicidade Cotidiana

a1639a475841768db9c518df44465f02

Sobre ontem, acordei literalmente com uma surpresa boa, o menino das borboletas veio aqui dizer um “oi” disse que estava por perto e decidiu passar. Sabe, como é… ontem foi sábado e dia de sábado eu durmo um pouco mais, então quando o interfone tocou e o porteiro anunciou quem era, dei o meu melhor pulo da cama, (meu interfone fica ao lado da minha cama) e já fui ao banheiro, o básico, escovar o dentes, lavar o rosto, enquanto pensava em uma roupa para colocar, afê, foi muito rápido, me vestir e a campainha tocou, dei aquela olhada na casa, tudo nos lugares, abri a porta e foi muito bom reencontrá-lo. Nem tinha sentido saudade, mas fiquei com aquele sentimento bom de ter sido lembrada e querida a ponto dele vim.

Disse que ia para a casa de uma tia, mas que queria me ver, ficou por uns 30 minutos e foi bom. Quando ele foi embora, fui organizar a vida de fato, pois tudo tinha saído momentaneamente dos conformes. Decidir que queria ir a praia e liguei para as amigas e fomos, quando vou, normalmente fico na barraca conversando miolo de pote, mas ontem queria ficar no mar, queria sentir a sua profundidade e inconstância, queria sentir todo o medo que eu tenho dele e mesmo assim continuar. Pois minha vida é assim, tenho andado apavorada e mesmo assim sigo. E foi bom, assim como a vida tem sido.

Voltamos para casa e eu comi qualquer coisa e fui dormir, pois a noite iriamos comprar os petiscos da noite de hoje, estreia de GOT.

Coisas simples que nos arrancam os melhores sorrisos. Um dia, comum e super feliz.

FELICIDADE TEM SE TORNADO COISA COMUM, OBRIGADA DEUS.

 

Arrancaram meus pedaços

35c9c84ef31d9827800aecea87d32bcb

Vou completar 8 meses que decidir separar do meu marido. (mudança)

8 meses que eu dei os passos mais doloridos que um dia eu pude dá, 8 meses que eu seguir em frente quando tudo o que eu queria era me fechar em uma concha e fingir que nada estava tão ruim. 8 meses em que o dia 8 de abril perdeu a graça, 8 meses e tudo mudou e mudou para melhor. Os 7 meses que permaneci casada, eu esqueci o som da minha gargalhada, perdi o brilho do olhar que complementa o sorriso, eu havia perdido a coragem de ser eu, estava aprisionada buscando os sonhos que nunca iriam se realizar, me pego pensando na quantidade de pessoas que já se perderam tanto de si mesmas que já não conseguem voltar. E, eu não jugo, é tão complicado refazer os passos, refazer a vida, olhar vergonhosamente nos olhos das pessoas que você ama e que te amam e que tiveram que te assistir se afundar em tristeza, as pessoas que sempre estiveram ali por mim.

O processo de se refazer machuca, pois se faz necessário retirar coisas da sua vida, as coisas são até simples, o complicado é trabalhar os sentimentos e sentidos: ah, os sentidos te traem quando você passa e senti o cheiro, quando alguém segura tua mãe e entrelaça os dedos e você lembra da segurança que aquele gesto um dia te deu ou quando a gente conversa sobre um mês que se sonhava algo, os sonhos são os mais complicados de largar, por que você jura que superou e uma fotografia, serie, ou comentário maldoso que as pessoas fazem, as vezes sem querer, você sente aquele soco no estomago, aquela falta de ar que ninguém percebe, pois é tudo tão rápido e somente você vai precisar lidar com isso. E vou trabalhando o que dá. Um dia por vez.

8 meses e um trabalho gigante de me refazer e de reconstruir as pontes que eu queimei eu tinha feito uma plantação tão linda em minha vida, uma rede de amigos, um relacionamento com a minha família e muitas dessas pessoas eu magoei profundamente evitando magoar aquele que me magoava deliberadamente, mas nossas escolhas nos perseguem e fazem 8 meses que tento restabelecer a confiança que foi perdida. Me sinto amada por muitas pessoas, mas nada estava igual e mesmo hoje, eu sei que nada esta igual.

Eu não estou igual… tudo mudou, e vou continuar mudando, porque a melhor coisa que me aconteceu nos últimos 12 meses foi ter decidido mudar ha 8 meses, e estive e estou disposta a pagar o preço de ouvir minha gargalhada, de sair com as amigas, de comer porcaria de poder ser eu mesmo todos os dias sem medos nem amarras, de seguir em frente sem medo do que tem pela frente, pois hoje mais do que nunca eu sei que não estou seguindo sozinha, hoje mais do que nunca eu sei que plantei direito, e que todo o tempo que passo com as pessoas da minha vida são os melhores momentos e se tiver alguém, quem quer que seja, que deseje fazer parte da minha história vai precisar entender que eu amo profundamente muita gente, que gosto de abraço, que amo minhas amigas e amigos, que gosto de ri alto, que falo inglês errado, que vou para a igreja e dou aulas e que as vezes uma pessoa pode chegar em nossa casa sem ter sido convidada, pois na minha casa meus amigos não precisam de convites, que eu amo animais, que gosto de cantar alto, que oro quase o dia inteiro, leio a bíblia em voz, alta, que gosto de escrever no blog, me perco assistindo series, que sou exagerada e não gosto de jogar, que falo tocando, que abraço com o corpo, que vou ri de nervoso, que minha mãe é minha mãe e que qualquer pessoa vem depois, meus irmãos são meus amigos e meus sobrinhos são uma extensão do meu coração.

Não quero abrir mão de nenhum pedaço meu, nunca mais.

 

Corrida dos laudos

Tive minha primeira consulta rumo aos laudos da bariátrica. Foi com a Fono e para minha sorte é uma amiga muito querida e super profissional. Muito legal ouvir a opinião profissional de uma amiga, a abordagem dos fatos que ate agora eu só havia lido em depoimentos nos grupos, sobre entalo, refluxo dentre outras coisas e todas essas estão relacionadas com a mastigação a qualidade da atenção no momento das refeições, todas essas coisas que sempre ouvimos falar e não levamos a serio.

Levei uma fruta, maçã, para o atendimento para que ela pudesse analisar minha mastigação, qual lado da boca eu utilizo mais para mastigação e por incrível que pareça eu mastigo mais do lado que eu pensava não mastigar. Hoje vou ter uma outra consulta com ela, e vou levar pão carioquinha, para ela analisar minha mastigação.

Fui no meu ortopedista, um doutor super atencioso que me acompanha há mais de um ano. Esperava uma atitude mais negativa por parte dele, mas para a minha surpresa ele foi super compreensivo, tendo em vista que eu não tive perda e sim reganho de peso nesse período em que ele me acompanha e me deu a justificativa necessária.

A tarde fui na psicologa e para a minha surpresa ela me deu o laudo sem muito “mimimi” confesso que fiquei um pouco frustrada queria ter uma consulta de fato, avaliações e quem sabe me entender melhor. Mas ela me deu o laudo e não preciso voltar lá. Menos um laudo.

Estou começando a acreditar que minha cirurgia vai sair para agosto.

O mar.

mar.jpg

Quando morei em São Paulo sentia saudade de olhar o mar, de sentir aquela brisa gostosa, mas quando estou aqui em Fortaleza tenho preguiça de ir até o mar que é, tipo, bem pertinho de casa, mas hoje eu decidir que iria mesmo sozinha, precisava ficar de frente ao mar, mas devo confessar que mesmo assim, não conseguir organizar essa desorganização, mas conseguir silenciar e foi bom. Ver o sol se despedir desse dia lindo que Deus nos deu e depois a lua cumprir seu papel de forma esplendida, presentes de Deus para as nossas vidas.

Fiquei ali, sozinha, observando que ninguém está só, as pessoas não andam sozinhas, duplas, trios, turmas maiores quando estava voltando para casa avistei um primo com seu filho e fui lá falar com eles e a pergunta que todos fazem é “e você veio só?” e me peguei pensando que estamos condicionados a sempre ter companhia. Está só é motivo de surpresa seguida de pena é meio tenso, mas é real. Mas, não é culpa de ninguém, mas não podemos sair só sem ser julgado como solitário. Pra frente.

Foi um momento gostoso. Quero ir no próximo final de semana e dá um mergulho. Hoje vi que precisava de um mergulho, mas não fui preparada para isso. Pegar um sol, trocar de cor e depois de pele. Provavelmente vou sozinha, com o tempo as pessoas acostuma que eu sou só e que para mim, hoje, isso basta.

Provavelmente é só medo

1620568_600366570032567_701665309_n

Encontrei o moço das borboletas e ele é uma pessoa ótima, leve na forma de falar e de sorrir, simples na forma de vestir e sem muita timidez e posso dizer que essa parte é bem diferente do menino que eu havia conhecido há tantos anos no passado, o menino de sorriso tímido, mas que estava sempre por perto.

Passamos uma manhã juntos, e foi tranquila e divertida, regada de conversas e risadas o que me fez lembra do quanto é bom ter alguém, mas apesar de ter sido muito legal e divertido, não sentir firmeza, não sentir que seriamos algo além do que somos, amigos, sinto que preciso me afastar já vivi essa história de ter um amigo que me dá bom dia, boa tarde e que me abençoa, mas que logo, assim quando eu menos espero ele aparece com alguém de quem eu no fundo gosto, acho uma pessoa incrível, mas fico me perguntando “pq não eu?” e eu lembro, mesmo sem querer lembrar o quanto esse sentimento machuca, mesmo quando eu continuo sorrindo, mesmo quando eu abraço e desejo toda a felicidade do mundo e mesmo sendo de verdade, sempre volto para a pergunta “pq não eu?” Então é melhor me afastar, pois o pouco cuidado oferecido que pode me fazer sorrir por me sentir lembrada,pode ser o gume que vai me ferir e eu não posso me dá ao luxo de ser ferida, de novo não.

E provavelmente eu esteja errada, provavelmente eu só tenha medo, provavelmente não haja ninguém na próxima esquina e é por isso que eu preciso me respeitar e simplesmente seguir com a minha vida da melhor forma que possa viver. E provavelmente esse negócio de ser feliz com outra pessoa não seja pra mim. Então eu fico no gargarejo torcendo pelos os amores que estão dando certo para que continuem dando, para que pelo menos eu possa pensar que o amor existe, só não era para mim.

Em busca dos laudos!

laudos

Exames concluídos, fui ao médico e o mesmo gostou do que viu, ainda estou no limite com relação ao peso necessário para a realização da cirurgia que é IMC 35+ Comorbidades que no meu caso é a Hérnia de Disco.

Essa semana começo a buscar os laudos dos profissionais: Psicólogo, Fonoaudiólogo, Cardiologista, Pneumatologista, Nutricionista, Endocrinologista e uma justificativa do meu Ortopedista. Tem outros laudos que são necessários, mas esses o Dr. disse que posso consegui-los no hospital, já conseguir os laudos do Endocrinologista e cardiologista, tenho consulta agendada com a Fono e com o Ortopedista para a próxima semana, na terça vejo quais serão os meus horários com a psicologa e com a Nutricionista. Desejo ardentemente que todo esse processo seja concluído em um mês, para que eu possa realizar a cirurgia nas minhas férias. Se tudo caminhar como está caminhando vai dar certo sim.

Com relação minha cabeça, bem rola muitas coisas, muitas ideias e medos e são eles: Será que vou conseguir ter uma vida de privações? será que vou acabar tendo reganho de peso e todo esse trauma será por nada? será que vou ficar feia e esquelética? pois apesar de gorda sou bonita e saudável. Será que vou sentir dores insuportáveis? será que vou ter complicações…. e assim vai. Teve um dia que acordei convicta que não iria realizar o precedimento, durou pouco e foi a única vez que eu me sentir assim, na maioria das vezes eu sinto paz com essa decisão. Converso bastante sobre isso com a minha mãe e irmã e com algumas meninas que realizaram o procedimento com o mesmo médico que eu vou fazer.

Orando para que essa paz me acompanhe sempre, mas eu sei que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que vivem de acordo com os propósito do Senhor e esse sempre tem sido o meu desejo, então se tudo for dá certo será para o meu bem e se não der também será.

Agora é correr para conseguir esses laudos nos próximos 20 dias.

Sem um pai

pai-ausente

Minha relação com meu pai é estranha, mas nem sempre foi assim, um dia há muito tempo ele era uma das minhas pessoas favoritas no mundo, era com ele que eu saia para conhecer os cantos mais diferentes, nunca reclamava de ficar com as pernas dormentes, por passar muito tempo em cima da moto ou por meu nariz ficava muito frio, porquê eu adorava sair com ele.

Adorava ser a filha topa tudo, mas tudo desmoronou aos poucos e depois rápido demais.

Fomos percebendo que o tempo que ele passava conosco era cada vez mais raro, que ele quase nunca dormia em casa, que ele simplesmente não sabia absolutamente nada sobre a vida que vivíamos, e mesmo assim minha mãe nos ofereceu uma infância feliz e segura.

Mas eu e meus irmãos já sabíamos que tínhamos deixado de ser prioridade na vida dele, mas tudo desmoronou quando um dia ele me chamou para passear e me levou para conhecer a outra filha dele, uma criança linda de apenas três anos e mesmo ainda sendo uma criança, eu sabia o que aquilo significava para mim como filha e para a minha família como um todo.

E naquele dia, eu tomei partido, não desejava mais ser sua filha bem quista, não quando ele sentiu necessidade de buscar uma nova família. Se não bastávamos para ele, porque ele tinha que bastar para as nossas vidas.

Não vou mentir, muitos anos já se passaram e essa menina de 3 anos, hoje é uma mulher linda, que eu admiro e amo. Ela é minha irmã e não há no mundo uma pessoa que tenha condições de mudar isso. De todo o caos que se seguiu, ela foi meu melhor presente, meu amor inteiro.

Poucos anos depois, mesmo sem ter as condições necessárias, minha mãe se separou do meu pai e minha mãe se tornou uma mulher divorciada e eu e meus irmãos nos tornamos filhos de uma mãe solteira, pois quando saiu da nossa casa, paulatinamente o pai saia das nossas vidas.

Muitos anos já se passaram, demos a volta por cima, vivemos com o pouco e fomos agraciados pelo cuidado de muitos, pessoas que somos muito gratos, minha mãe que Deus sustentou e cuidou em quanto ela dava tudo de si para que pudéssemos ter onde morar, o que vestir e o que comer. Ela que nos deu um lar, para voltar, um Deus para servir e um ombro forte e largo onde descansar nos dias maus.

Crescemos, lutamos, vencemos muitas dessas lutas, hoje eu e meus irmãos somos pessoas fortes e estabelecidas que não se curvam sob qualquer vento. Hoje minha mãe tem uma casa que é dela, uma profissão e uma aposentadoria, para quando ela desejar descansar.

Meu pai, perdeu o melhor de tudo, ele perdeu nossas formaturas, casamentos, nascimento de netos, batismos, perdeu natais, aniversários, sorrisos ao redor da mesa, amor sem medida, tem perdido, sorriso e o crescimentos dos netos, tem perdido o amor que ele nunca soube dá.

Ontem encontrei com o meu pai e apesar de respeitá-lo e ser grata pelo que ele nos ofereceu. A conexão se foi, o vinculo se quebrou, casei, separei, me estabeleci e em nenhum momento pensei nele como um pai, para isso eu tive minha mãe, meus irmãos e tios que assumiram seu lugar quando necessário.

Ontem eu vi meu pai e apesar da alegria por saber que nada nos separa de fato, tem a certeza que de igual modo nada nos uni. E eu sei que muita gente daria tudo para ter o pai vivo e eu provavelmente daria tudo para ter tido um pai que fizesse questão de está presente e que desejasse ter sido meu pai.

Borboletas?!

new

Atualizações sobre a minha inexistente, mas resistente vida amorosa rsrsrs

O homem responsável pelas borboletas. Bom ainda não nos encontramos e pelo o que eu tenho acompanhado não acredito que isso venha a acontecer. Mas ainda nos falamos, menos que no inicio e é provável que com o tempo até essas pequenas conversas terminem também.

O que eu tirei de bom foi que eu vi todas as possibilidades o fato de meus traumas, medos não serem tão fortes a ponto de me paralisar, que ainda posso viver uma outra historia e que ela pode ate dá certo.

Estou com a alma quieta e isso é bom, para não dizer raro.

Exames

flacidez-760x507

Todos os exames estão prontos. Falta apenas recebe-los e voltar para o consultório do cirurgião e esperar passar para a segunda fase; os laudos.

Quero muito fazer minha cirurgia no mês de agosto, mas ultimamente estou com medo de não dá tempo, o pensei que o exame de Selênio e Zinco (exame de sangue) fosse demorar tanto, ao que me parece deixei para fazer os exames mais demorados por último, mas fica complicado quando se trabalha o dia inteiro e casa saída ou atraso não são bem vistos. Vou voltar no Dr. Ney no finalzinho deste mês.

Já comecei assediar a Fono e a Nutricionista a respeito dos laudos e marquei a endocrinologista, já que essa tem a agenda super concorrida, amanhã vou conversar com a psicologa com quem eu trabalho e ver se ela pode fazer minha avaliação, se não tenho que correr para encontrar vaga em um outro consultório.

Sobre o medo, bom esse continua firme e forte, claro, não sou boba, sei que toda cirurgia tem seu risco. Entrei em um grupo no Facebook de pessoas que vão fazer ou que já fizeram a Bariatrica e todos falam abertamente dobre as dificuldades que encontraram pelo caminho, então isso me diz que nada será fácil, mas nessa linda vida que Deus me deu a única coisa que veio fácil foi a família maravilhosa e meus amigos e amigas, o restante eu tive que correr para ter.

O que eu vejo nos meus “amigos” que passaram por essa cirurgia é que a vida deles mudou de forma absurda, não somente as medidas, mas a forma de ver e se relacionar com o mundo.

Quando se é gordo desde muito tempo como eu, acabamos nos acostumamos com frases e ações ofensivas. Não imagino como será o mundo sem precisar ouvir alguns absurdos. Um dia de cada vez.