(Des) Encontros

shoppingEu já te esqueci e espero nunca te encontrar, espero que nunca o elevador ou escada rolante de algum shopping tenhamos aqueles encontros, não quero, já desejei isso com todas as forças do meu coração. Te tenho nas redes sociais e em uma caixinha dentro do meu coração, você e a nossa história e não quero correr riscos de que saia qualquer luz de dentro dessa caixinha, não quero.

Hoje, em minhas redes sociais vi você com sua família em um local que eu costumo levar meu sobrinho, e fiquei pensando se em uma corrida eu me esbarro em você.

Não quero, sempre tive medo, mas hoje eu vi o quanto isso pode ser possivel. Nossas vidas mudaram os rumos e eu me mantive fiel a você e aos meus sentimentos por mais tempo do que seria saudável. Hoje eu vi que isso era possível. Minha vida seguiu a sua também, parei de contar os anos, parei de pensar em nosso encontro no aeroporto de Portugal, parei de buscar a felicidade no passado, pois precisava aprender uma última coisa com você, precisava aprender a seguir, você seguiu, eu seguir… a vida seguiu e já fazem tanto tempo e vejo você tão feliz e isso me alegra a alma. Pois, o tempo passou… mas minha alegria em te ver feliz é a mesma. Só não me encontra, nem que seja sem querer, mas se me encontrar sorrir com os olhos, que eu vou sorrir com os meus, mas prefiro ser uma estranha do que encarar o fato que você tem tudo o que a gente sonhou e eu ainda estou aqui.

Por mim. ​

florSou uma daquelas crianças que cresceram ouvindo Sandy e Junior, e que agora depois de adulta, ainda gosta da voz da moça e das letras tão cheias de histórias, fui embalada por muitas de suas músicas a vida inteira, sonho com “ELA / ELE”, “PÉS CANSADOS”, “MORADA”, “AQUELA DOS 30” e agora estou apaixonada por uma música que ela lançou junto com o Tiago Iorc “ME ESPERA”. Não que tenha alguém em esperando, muito pelo contrario, nada me espera de volta.
Quando eu ouvir essa música pela primeira vez pensei no meu Deus, é Ele quem me espera, é Ele que me ver no temporal, é Ele que soube que eu iria, mas que tão logo voltaria e Ele como o pai faz com o filho, esperou. Quando eu perdi em minhas próprias ilusões, quando o vento me turvava a visão, quando eu perdi o foco, quando eu não conseguia seguir.
Do alto me veio a força necessária para voltar, pois eu sabia que Ele me esperava. E me amaria.
Se vou ter um dia um amor como esse aqui, não sei, não faço a minima ideia. Estou feliz por ter sido perdida e salva, estou feliz pois apesar dos pés cansados, tenho morada, e apesar de ser aquela dos 30 e as cobranças ainda existirem, eu sigo, serei uma tia feliz, uma irmã realizada, uma filha que ama e é amada, serei o melhor de mim, pois apesar de tudo, todas as dificuldades eu sei que vou superar, pois o pior o mais difícil já passou e eu quero ser feliz, hoje. Por mim.

Amiga

labidaAcho que perdemos a sitônia a confiança cega, que eu seguia. Eramos diferente, eramos únicas, você era minha “Cristina”, você que chegou e eu nem sei bem a hora que te vi aqui para sempre, não sei em qual momento desses 9 anos que você se tornou minha amiga, minha confidente, minha pessoa, que eu liguei quando precisei de um resgate.

Apesar de sentir que nossa sitônia se perdeu, sou daquelas que acredita que com um pouco de esforço, conseguiremos compor uma sifônia, mas hoje… hoje eu preciso reaprender quem é você. As vezes eu penso que esses dois anos em que eu estive fora e que não compartilhamos tão plenamente nossas vidas, você mudou tanto, mudou tudo e eu não gosto de algumas coisas que você mudou e eu fico pensando o que fazer? Acostumar, com o diferente, acostumar com o novo “tu”.

Saudade da menina que você era, saudade da sede que você tinha de Deus, de conhecer e crescer, saudade dos teus antigos amigos e das tuas amigas de infância. Fico pensando se eu tenho insistido em ficar enquanto sou apenas mais uma das tuas amigas que ficaram no passado.

Não sei dizer, mas sinto saudade da minha amiga, mesmo sabendo que quando estamos eu e você as coisas são iguais. Não sei o que fazer, só sei que tá meio doido, sei que vou me afastar e te dá o direito de ser quem você deseja ser e estarei aqui, quando esses forem passado, eu sei que continuarei ser presente, pois nesse 9 anos, caminhando lado a lado, não temos aberto mão de ser presentes na vida uma da outra. E eu espero que continue assim. =Dowl

 

Sem pressa

cafeAmo os finais de semana, sou do tipo que dança assim que acorda, um sambinha bom ao som de Chico Buarque, abri a geladeira e poder escolher o que vou fazer para o café da manhã, fazer cafe forte e pegar goma de tapioca colocar na frigideira e esperar a mágica acontecer, a goma ganhar liga e se unir e rápido o café da manhã tá pronto.

Sentar na mesa com café, café que as vezes, outras suco, mas sentar e comer sem pressa, sem precisar está em outro lugar. É assim que eu gosto do meu café, nem forte, nem franco, gosto do café sem pressa, gosto de ler de assistir e se tiver outras pessoas gosto de conversar, quem sabe até a hora do almoço, era assim lá em casa, nossos momentos de café da manhã eram regados de conversa, risadas, sonhos, noticias, opiniões, sorrisos, alegria, comunhão.

Acredito que por isso eu ame tanto o momento de sentar na mesa e comer, comer desarma é algo que fazemos com as pessoas que queremos bem.

Todos os meus sábados e alguns domingos são assim, felizes, aqui ou na mãe ou na casa de um dos meus irmãos é algo que aprendemos e que cada valoriza, cada um do seu jeito.

 

Em+Frente

mm

Sou filha de pais separados e neta de avós separados, fui criada ouvindo que o meu marido se chama trabalho e que não existe nada melhor do que ser independente.  Cresci tendo medo de boneca e amando correr e brincar na rua. Brincar de casinha nunca foi o meu forte.

Dei meu primeiro beijo com um menino que pensava que me enganava com a minha melhor amiga, mas na verdade eu e ela estávamos aprendendo a beijar e ele estava ali, disponível, na época eu tinha 13 anos e meu primeiro beijo foi no dia dos namorados, mas não houve nada de romantismo, foi na verdade bem didático e bom. Depois que conseguimos o que queríamos eu e minha amiga terminamos com ele simultaneamente, acho que ele não gostou muito, ninguém gosta de ser enganado.

Me apaixonei, várias vezes, dei outros beijos, mais interessantes. Aqueles beijos que fazem nosso coração saltar de ansiedade e felicidade. Até que conheci meu primeiro namorado, eu tinha 15 anos, e já havia beijado algumas pessoas. E agora escrevendo isso percebi que não lembro do meu primeiro beijo com ele, mandei um zap para ele perguntando e ele lembra e já fazem 18 anos, o primeiro amor é sempre marcante. Eu lembro com  nitidez do último, mesmo que na época eu não esperasse que fosse o último, mas foi e eu vi meu coração partido, pela primeira vez sentir aquela dor complicada de descrever, a dor de não ter.

Seguir em frente e 15 dias depois ele me pedia para voltar, aos 16 anos eu era uma criatura mais orgulhosa. Depois dele tive outros bons namorados, e com todos os outros eu terminei, até eu namorar um rapaz mais jovem e para ele dá meu coração, ele era meu melhor amigo, e hoje depois do fim, lamento só não poder tê-lo em minha vida.

Sempre me considerei muito seca sentimentalmente, meio homem quando se trata de ficar e não me envolver, ainda hoje consigo ficar com uma pessoa, sem que meus sentimentos sejam envolvidos, consigo seguir sem olhar para traz. Consigo lamentar sem dramatizar, seguir em frente, pois na vida temos que enfrentar o que vem e não lamentar o que passou. Em frente e enfrente.