Provavelmente é só medo

1620568_600366570032567_701665309_n

Encontrei o moço das borboletas e ele é uma pessoa ótima, leve na forma de falar e de sorrir, simples na forma de vestir e sem muita timidez e posso dizer que essa parte é bem diferente do menino que eu havia conhecido há tantos anos no passado, o menino de sorriso tímido, mas que estava sempre por perto.

Passamos uma manhã juntos, e foi tranquila e divertida, regada de conversas e risadas o que me fez lembra do quanto é bom ter alguém, mas apesar de ter sido muito legal e divertido, não sentir firmeza, não sentir que seriamos algo além do que somos, amigos, sinto que preciso me afastar já vivi essa história de ter um amigo que me dá bom dia, boa tarde e que me abençoa, mas que logo, assim quando eu menos espero ele aparece com alguém de quem eu no fundo gosto, acho uma pessoa incrível, mas fico me perguntando “pq não eu?” e eu lembro, mesmo sem querer lembrar o quanto esse sentimento machuca, mesmo quando eu continuo sorrindo, mesmo quando eu abraço e desejo toda a felicidade do mundo e mesmo sendo de verdade, sempre volto para a pergunta “pq não eu?” Então é melhor me afastar, pois o pouco cuidado oferecido que pode me fazer sorrir por me sentir lembrada,pode ser o gume que vai me ferir e eu não posso me dá ao luxo de ser ferida, de novo não.

E provavelmente eu esteja errada, provavelmente eu só tenha medo, provavelmente não haja ninguém na próxima esquina e é por isso que eu preciso me respeitar e simplesmente seguir com a minha vida da melhor forma que possa viver. E provavelmente esse negócio de ser feliz com outra pessoa não seja pra mim. Então eu fico no gargarejo torcendo pelos os amores que estão dando certo para que continuem dando, para que pelo menos eu possa pensar que o amor existe, só não era para mim.

Anúncios

Em busca dos laudos!

laudos

Exames concluídos, fui ao médico e o mesmo gostou do que viu, ainda estou no limite com relação ao peso necessário para a realização da cirurgia que é IMC 35+ Comorbidades que no meu caso é a Hérnia de Disco.

Essa semana começo a buscar os laudos dos profissionais: Psicólogo, Fonoaudiólogo, Cardiologista, Pneumatologista, Nutricionista, Endocrinologista e uma justificativa do meu Ortopedista. Tem outros laudos que são necessários, mas esses o Dr. disse que posso consegui-los no hospital, já conseguir os laudos do Endocrinologista e cardiologista, tenho consulta agendada com a Fono e com o Ortopedista para a próxima semana, na terça vejo quais serão os meus horários com a psicologa e com a Nutricionista. Desejo ardentemente que todo esse processo seja concluído em um mês, para que eu possa realizar a cirurgia nas minhas férias. Se tudo caminhar como está caminhando vai dar certo sim.

Com relação minha cabeça, bem rola muitas coisas, muitas ideias e medos e são eles: Será que vou conseguir ter uma vida de privações? será que vou acabar tendo reganho de peso e todo esse trauma será por nada? será que vou ficar feia e esquelética? pois apesar de gorda sou bonita e saudável. Será que vou sentir dores insuportáveis? será que vou ter complicações…. e assim vai. Teve um dia que acordei convicta que não iria realizar o precedimento, durou pouco e foi a única vez que eu me sentir assim, na maioria das vezes eu sinto paz com essa decisão. Converso bastante sobre isso com a minha mãe e irmã e com algumas meninas que realizaram o procedimento com o mesmo médico que eu vou fazer.

Orando para que essa paz me acompanhe sempre, mas eu sei que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que vivem de acordo com os propósito do Senhor e esse sempre tem sido o meu desejo, então se tudo for dá certo será para o meu bem e se não der também será.

Agora é correr para conseguir esses laudos nos próximos 20 dias.

Sem um pai

pai-ausente

Minha relação com meu pai é estranha, mas nem sempre foi assim, um dia há muito tempo ele era uma das minhas pessoas favoritas no mundo, era com ele que eu saia para conhecer os cantos mais diferentes, nunca reclamava de ficar com as pernas dormentes, por passar muito tempo em cima da moto ou por meu nariz ficava muito frio, porquê eu adorava sair com ele.

Adorava ser a filha topa tudo, mas tudo desmoronou aos poucos e depois rápido demais.

Fomos percebendo que o tempo que ele passava conosco era cada vez mais raro, que ele quase nunca dormia em casa, que ele simplesmente não sabia absolutamente nada sobre a vida que vivíamos, e mesmo assim minha mãe nos ofereceu uma infância feliz e segura.

Mas eu e meus irmãos já sabíamos que tínhamos deixado de ser prioridade na vida dele, mas tudo desmoronou quando um dia ele me chamou para passear e me levou para conhecer a outra filha dele, uma criança linda de apenas três anos e mesmo ainda sendo uma criança, eu sabia o que aquilo significava para mim como filha e para a minha família como um todo.

E naquele dia, eu tomei partido, não desejava mais ser sua filha bem quista, não quando ele sentiu necessidade de buscar uma nova família. Se não bastávamos para ele, porque ele tinha que bastar para as nossas vidas.

Não vou mentir, muitos anos já se passaram e essa menina de 3 anos, hoje é uma mulher linda, que eu admiro e amo. Ela é minha irmã e não há no mundo uma pessoa que tenha condições de mudar isso. De todo o caos que se seguiu, ela foi meu melhor presente, meu amor inteiro.

Poucos anos depois, mesmo sem ter as condições necessárias, minha mãe se separou do meu pai e minha mãe se tornou uma mulher divorciada e eu e meus irmãos nos tornamos filhos de uma mãe solteira, pois quando saiu da nossa casa, paulatinamente o pai saia das nossas vidas.

Muitos anos já se passaram, demos a volta por cima, vivemos com o pouco e fomos agraciados pelo cuidado de muitos, pessoas que somos muito gratos, minha mãe que Deus sustentou e cuidou em quanto ela dava tudo de si para que pudéssemos ter onde morar, o que vestir e o que comer. Ela que nos deu um lar, para voltar, um Deus para servir e um ombro forte e largo onde descansar nos dias maus.

Crescemos, lutamos, vencemos muitas dessas lutas, hoje eu e meus irmãos somos pessoas fortes e estabelecidas que não se curvam sob qualquer vento. Hoje minha mãe tem uma casa que é dela, uma profissão e uma aposentadoria, para quando ela desejar descansar.

Meu pai, perdeu o melhor de tudo, ele perdeu nossas formaturas, casamentos, nascimento de netos, batismos, perdeu natais, aniversários, sorrisos ao redor da mesa, amor sem medida, tem perdido, sorriso e o crescimentos dos netos, tem perdido o amor que ele nunca soube dá.

Ontem encontrei com o meu pai e apesar de respeitá-lo e ser grata pelo que ele nos ofereceu. A conexão se foi, o vinculo se quebrou, casei, separei, me estabeleci e em nenhum momento pensei nele como um pai, para isso eu tive minha mãe, meus irmãos e tios que assumiram seu lugar quando necessário.

Ontem eu vi meu pai e apesar da alegria por saber que nada nos separa de fato, tem a certeza que de igual modo nada nos uni. E eu sei que muita gente daria tudo para ter o pai vivo e eu provavelmente daria tudo para ter tido um pai que fizesse questão de está presente e que desejasse ter sido meu pai.