Felicidade Cotidiana

a1639a475841768db9c518df44465f02

Sobre ontem, acordei literalmente com uma surpresa boa, o menino das borboletas veio aqui dizer um “oi” disse que estava por perto e decidiu passar. Sabe, como é… ontem foi sábado e dia de sábado eu durmo um pouco mais, então quando o interfone tocou e o porteiro anunciou quem era, dei o meu melhor pulo da cama, (meu interfone fica ao lado da minha cama) e já fui ao banheiro, o básico, escovar o dentes, lavar o rosto, enquanto pensava em uma roupa para colocar, afê, foi muito rápido, me vestir e a campainha tocou, dei aquela olhada na casa, tudo nos lugares, abri a porta e foi muito bom reencontrá-lo. Nem tinha sentido saudade, mas fiquei com aquele sentimento bom de ter sido lembrada e querida a ponto dele vim.

Disse que ia para a casa de uma tia, mas que queria me ver, ficou por uns 30 minutos e foi bom. Quando ele foi embora, fui organizar a vida de fato, pois tudo tinha saído momentaneamente dos conformes. Decidir que queria ir a praia e liguei para as amigas e fomos, quando vou, normalmente fico na barraca conversando miolo de pote, mas ontem queria ficar no mar, queria sentir a sua profundidade e inconstância, queria sentir todo o medo que eu tenho dele e mesmo assim continuar. Pois minha vida é assim, tenho andado apavorada e mesmo assim sigo. E foi bom, assim como a vida tem sido.

Voltamos para casa e eu comi qualquer coisa e fui dormir, pois a noite iriamos comprar os petiscos da noite de hoje, estreia de GOT.

Coisas simples que nos arrancam os melhores sorrisos. Um dia, comum e super feliz.

FELICIDADE TEM SE TORNADO COISA COMUM, OBRIGADA DEUS.

 

Arrancaram meus pedaços

35c9c84ef31d9827800aecea87d32bcb

Vou completar 8 meses que decidir separar do meu marido. (mudança)

8 meses que eu dei os passos mais doloridos que um dia eu pude dá, 8 meses que eu seguir em frente quando tudo o que eu queria era me fechar em uma concha e fingir que nada estava tão ruim. 8 meses em que o dia 8 de abril perdeu a graça, 8 meses e tudo mudou e mudou para melhor. Os 7 meses que permaneci casada, eu esqueci o som da minha gargalhada, perdi o brilho do olhar que complementa o sorriso, eu havia perdido a coragem de ser eu, estava aprisionada buscando os sonhos que nunca iriam se realizar, me pego pensando na quantidade de pessoas que já se perderam tanto de si mesmas que já não conseguem voltar. E, eu não jugo, é tão complicado refazer os passos, refazer a vida, olhar vergonhosamente nos olhos das pessoas que você ama e que te amam e que tiveram que te assistir se afundar em tristeza, as pessoas que sempre estiveram ali por mim.

O processo de se refazer machuca, pois se faz necessário retirar coisas da sua vida, as coisas são até simples, o complicado é trabalhar os sentimentos e sentidos: ah, os sentidos te traem quando você passa e senti o cheiro, quando alguém segura tua mãe e entrelaça os dedos e você lembra da segurança que aquele gesto um dia te deu ou quando a gente conversa sobre um mês que se sonhava algo, os sonhos são os mais complicados de largar, por que você jura que superou e uma fotografia, serie, ou comentário maldoso que as pessoas fazem, as vezes sem querer, você sente aquele soco no estomago, aquela falta de ar que ninguém percebe, pois é tudo tão rápido e somente você vai precisar lidar com isso. E vou trabalhando o que dá. Um dia por vez.

8 meses e um trabalho gigante de me refazer e de reconstruir as pontes que eu queimei eu tinha feito uma plantação tão linda em minha vida, uma rede de amigos, um relacionamento com a minha família e muitas dessas pessoas eu magoei profundamente evitando magoar aquele que me magoava deliberadamente, mas nossas escolhas nos perseguem e fazem 8 meses que tento restabelecer a confiança que foi perdida. Me sinto amada por muitas pessoas, mas nada estava igual e mesmo hoje, eu sei que nada esta igual.

Eu não estou igual… tudo mudou, e vou continuar mudando, porque a melhor coisa que me aconteceu nos últimos 12 meses foi ter decidido mudar ha 8 meses, e estive e estou disposta a pagar o preço de ouvir minha gargalhada, de sair com as amigas, de comer porcaria de poder ser eu mesmo todos os dias sem medos nem amarras, de seguir em frente sem medo do que tem pela frente, pois hoje mais do que nunca eu sei que não estou seguindo sozinha, hoje mais do que nunca eu sei que plantei direito, e que todo o tempo que passo com as pessoas da minha vida são os melhores momentos e se tiver alguém, quem quer que seja, que deseje fazer parte da minha história vai precisar entender que eu amo profundamente muita gente, que gosto de abraço, que amo minhas amigas e amigos, que gosto de ri alto, que falo inglês errado, que vou para a igreja e dou aulas e que as vezes uma pessoa pode chegar em nossa casa sem ter sido convidada, pois na minha casa meus amigos não precisam de convites, que eu amo animais, que gosto de cantar alto, que oro quase o dia inteiro, leio a bíblia em voz, alta, que gosto de escrever no blog, me perco assistindo series, que sou exagerada e não gosto de jogar, que falo tocando, que abraço com o corpo, que vou ri de nervoso, que minha mãe é minha mãe e que qualquer pessoa vem depois, meus irmãos são meus amigos e meus sobrinhos são uma extensão do meu coração.

Não quero abrir mão de nenhum pedaço meu, nunca mais.