Pensei que estavam mortas!!!

Borboletas no Estomago

E agora? Ele tem as belezas que eu admiro. É bom caráter, trabalhador, estudioso, corajoso e Cristão.  Que de todas essas coisas é o que mais me motiva e ao mesmo tempo de expeli.

Medo, de fato estou apavorada, por essa espera dele dizer “oi!” No zap e começarmos as nossas conversas noturnas que entram na madrugada, gosto de falar sobre Deus, sempre desejei alguém com quem eu pudesse falar sobre Deus, que já tivesse lido a Palavra e pudesse trocar comigo pensamentos. Que me abençoasse sem eu precisar motivar.

Eu estou com borboletas no estomago. Estou com medo. Porque fazia tempo que elas haviam fugido de mim, medo do hoje e mais medo ainda pelo amanhã. Medo do que realmente é a vontade de Deus, pois sei que nem eu nem ele temos o desejo de nos envolver de graça, muito pelo contrario, sinto uma necessidade de que a graça de Deus nos envolve e abençoe o que hoje não é nada. Uma amizade que eu posso manter pelo resto na minha vida.

Ele tem bagagem, ele tem cicatrizes; tem três filhas do primeiro casamento, e as magoas de um casamento que não terminou bem, não sei quais foram às marcas deixadas em seu coração, ainda não descobrir minhas próprias marcas.

Sei que tem algo mexendo dentro de mim, pois sonhei com o meu ex marido, tive medo durante a noite. Como se a qualquer momento ele fosse aparecer e pegar meu celular e perguntar daquele jeito bruto, quase quebrando a tela “quem é esse homem aqui? Você é vagabunda mesmo!!” e aquelas muitas palavras que ele dividia comigo quando eu estava fora do seu poder.

Sinal que eu realmente estou me envolvendo, acho que vou colocar o pé no freio. Não vou estancar, só desacelerar. A prudencia nunca foi meu forte, mas parece que os últimos anos me ensinaram a ser mais prudente, sempre achei a prudencia uma justificativa para pessoas medrosas se esquivarem de viver. Eu estava errada!

Ser prudente nos priva de algumas emoções boas e de outras muitas ruins.

O dia de hoje, interlúdio de amanhã!

10253993_767793473245008_4413651945560583786_n

Sou uma pessoa meio louca, inconsequente, e que normalmente vive a vida e segue. Se algum dia alguém ler esse blog, e se perguntar porque eu dei esse nome, para esse lugar que eu coloco as coisas mais profundas e serenas.

A coruja ela pia na noite, enquanto o mundo dorme, consegue montar ninhos em terra e no ar, isso mostra o quanto ela é adaptável, ela linda, algumas pessoas olham para ela e só conseguem ver “agoro” eu vejo coragem. Eu vejo escolhas. Eu vejo paz. Ela aprecia o silêncio, ela, ela é conquistada pela comida que o pretendente oferecer, são os machos que procuram o ninho e eles dividem a educação dos filhotes, são seres maravilhosos e quando eu passo um tempo lendo sobre eles eu penso que temos bastante coisas para aprender com as corujas, eu as amo. Lembro da primeira coruja que eu vi com meus próprios olhos, era branca, linda e voava silenciosamente por sobre o cemitério, dando o seu grito. Ela silenciosamente se fez vista. Outra coruja que eu vi, foi anos depois essa estava em terra em um campo bem grande, vigiando seus filhotes. Elas estavam em liberdade, liberdade.

Esse ano é o meu ano, é meu marco zero. Decidir que vou emagrecer, vou emagrecer de verdade, preciso perder os meus 20 quilos e quero que eles não voltem, quero arrumar meus cabelos e colocar lentes.

Quero crescer, uma das minhas metas é buscar uma segunda fonte de renda e acho que encontrei uma opção. Vou começar em abril. Quero voltar a dirigir, já que tenho a droga de uma carteira e ainda falta um carro, mas vejo isso no futuro, próximo.

Vou precisar de roupas novas quando minhas medidas mudarem, mas isso deve esperar alguns meses. Vou prestando conta por aqui.

owl