Ex – 2006

Esses dias estava procurando uma foto entre os meus e-mails e encontrei uma foto nossa tirada no carnaval de 2006 no Morro Branco era seu aniversário e eu estava no canto mais caótico da nossa cidade por causa de você, passei o dia ali, as pessoas escolhendo a velocidade do Greeeuuu que queriam dançar e eu pensando na música “Eduardo e Mônica” aquela parte que diz: “festa estranha com gente esquisita” sua gente era muito esquisita para mim e a minha era muito esquisita para você, mas mesmo assim estávamos juntos.

Eu me apaixonei por você sem ao menos perceber, não era para ser, mas foi e ficamos juntos mais tempo que um dia poderíamos ter imaginado, mas ficamos, eu engolir coisas e você também. A gente gostava da gente e gostávamos das nossas famílias, você adorava minha irmã, na verdade vocês eram bem parecidos, você era amigo do meu irmão e se duvidar ele ainda te considera um amigo.

Você foi meu namorado, meu anjo, como eu costumava te chamar, meu filho, meu querido. Meu Deus eramos tão novos, tão imaturos, você com a sua bebida e eu com a minha carência e vontade de chamar atenção. Com o tempo, fomos nos degladeando e nos destruído.

esperando aviões

Eu amava nossas tardes no teu quarto, violão, vinho, música boa, eu e você, era uma bela bolha, nossos cinemas, nossas tardes com a família. Não gostava das bebedeiras, das drogas, dos sustos… era tudo novo para mim e eu não queria ser parte daquilo, daquelas cenas, e íamos embora, só muito depois do fim eu soube que você fazia mais que olhar, mas eu sabia quem você era e você não era um viciado não naquela droga. O teu problema era o álcool e como ele te conduzia a destruição.

Eu me apaixono por pessoas lindas, com profundos problemas. Você foi um presente em minha vida, me deu força, me incentivou, como nunca, namorado nenhum fez, você acreditou em mim assim como a minha família acredita e eu sou grata por isso.

Eramos tão novos e com tanta vida pela frente. Hoje eu sei que você tem uma família e eu sei que apesar de saber que você ainda é uma pessoa maravilhosa eu também sei que você não mudou, alguns hábitos nunca mudam e você não deixa rastros, outra coisa de que eu sou muito grata, só soube das traições muito depois do fim.

Você era bom. Você poderia ter sido o melhor, O último, Eu poderia ter te dito os votos que você tanto queria. Mas no meio do caminho, já não havia eu e você. E por isso terminou, ainda sentir tua falta por meses depois do fim, eu vivia, eu sorria, eu estudava e a saudade me acompanhava, lembro dos nossos e-mails e conversas. Mas, não havia o que salvar.

 

 

Anúncios

Sê valente

Amigos, Feliz dia do amigo! =D

Ainda na corrida para conseguir os laudos acabei por descobrir que tenho um nódulo no pulmão. No momento em que a médica, disse, tão naturalmente da mesma forma que falou que eu tinha seios bonitos, sim, essas coisas acontecem nas minhas consultas. Acho que ficamos bem a vontade. Voltando a noticia, me deu riso de nervoso, mas na minha cabeça gritava um belo “%$#&qPario” como posso ter um nódulo no pulmão, não basta a hérnia discal, os 6 nódulos + 1 cisto na mama, dois miomas nos ovários e uma pedra na vesícula eu ainda tinha que ter um nódulo no pulmão? Nem sentir medo de ser câncer, de verdade, tenho levado tanta porrada com relação a minha saúde que a única coisa que eu penso é que eu preciso resolver isso. Preciso verificar todas as possibilidades. Amanhã começo a realizar os exames, até segunda vou ter tudo feito, quero retornar na médica próxima semana mesmo.

Vou no cirurgião também.

Parece que o menino das borboletas encontrou sua própria borboletas e dou graças a Deus de não ter e envolvido tanto assim, mas agradeço a oportunidade que eu tiver de me sentir viva, saber que eu ainda serei capaz de me relacionar sem sentir um pingo de culpa.

Mês que entra vou dá entrada nos papeis do divorcio e concluir mais essa fase. Ao meu ver o mês de agosto será um divisor de águas em minha vida. Antes, muito antes eu tinha outros planos para esse mês, mas o coração do homem faz planos, porém a resposta vem dos lábios do Senhor. E eu O louvor por isso.

Parece que tudo está dando errado, mas na verdade tudo tem dado certo, eu só não sei onde vou chegar, porém eu sei que será lindo. Tenho aprendido sobre ter fé em tempos nublados, e que não podemos crer pela metade, temos que saber que a nossa ancora é o Senhor, Ele é O que diz: Sê Valente.

Arrancaram meus pedaços

35c9c84ef31d9827800aecea87d32bcb

Vou completar 8 meses que decidir separar do meu marido. (mudança)

8 meses que eu dei os passos mais doloridos que um dia eu pude dá, 8 meses que eu seguir em frente quando tudo o que eu queria era me fechar em uma concha e fingir que nada estava tão ruim. 8 meses em que o dia 8 de abril perdeu a graça, 8 meses e tudo mudou e mudou para melhor. Os 7 meses que permaneci casada, eu esqueci o som da minha gargalhada, perdi o brilho do olhar que complementa o sorriso, eu havia perdido a coragem de ser eu, estava aprisionada buscando os sonhos que nunca iriam se realizar, me pego pensando na quantidade de pessoas que já se perderam tanto de si mesmas que já não conseguem voltar. E, eu não jugo, é tão complicado refazer os passos, refazer a vida, olhar vergonhosamente nos olhos das pessoas que você ama e que te amam e que tiveram que te assistir se afundar em tristeza, as pessoas que sempre estiveram ali por mim.

O processo de se refazer machuca, pois se faz necessário retirar coisas da sua vida, as coisas são até simples, o complicado é trabalhar os sentimentos e sentidos: ah, os sentidos te traem quando você passa e senti o cheiro, quando alguém segura tua mãe e entrelaça os dedos e você lembra da segurança que aquele gesto um dia te deu ou quando a gente conversa sobre um mês que se sonhava algo, os sonhos são os mais complicados de largar, por que você jura que superou e uma fotografia, serie, ou comentário maldoso que as pessoas fazem, as vezes sem querer, você sente aquele soco no estomago, aquela falta de ar que ninguém percebe, pois é tudo tão rápido e somente você vai precisar lidar com isso. E vou trabalhando o que dá. Um dia por vez.

8 meses e um trabalho gigante de me refazer e de reconstruir as pontes que eu queimei eu tinha feito uma plantação tão linda em minha vida, uma rede de amigos, um relacionamento com a minha família e muitas dessas pessoas eu magoei profundamente evitando magoar aquele que me magoava deliberadamente, mas nossas escolhas nos perseguem e fazem 8 meses que tento restabelecer a confiança que foi perdida. Me sinto amada por muitas pessoas, mas nada estava igual e mesmo hoje, eu sei que nada esta igual.

Eu não estou igual… tudo mudou, e vou continuar mudando, porque a melhor coisa que me aconteceu nos últimos 12 meses foi ter decidido mudar ha 8 meses, e estive e estou disposta a pagar o preço de ouvir minha gargalhada, de sair com as amigas, de comer porcaria de poder ser eu mesmo todos os dias sem medos nem amarras, de seguir em frente sem medo do que tem pela frente, pois hoje mais do que nunca eu sei que não estou seguindo sozinha, hoje mais do que nunca eu sei que plantei direito, e que todo o tempo que passo com as pessoas da minha vida são os melhores momentos e se tiver alguém, quem quer que seja, que deseje fazer parte da minha história vai precisar entender que eu amo profundamente muita gente, que gosto de abraço, que amo minhas amigas e amigos, que gosto de ri alto, que falo inglês errado, que vou para a igreja e dou aulas e que as vezes uma pessoa pode chegar em nossa casa sem ter sido convidada, pois na minha casa meus amigos não precisam de convites, que eu amo animais, que gosto de cantar alto, que oro quase o dia inteiro, leio a bíblia em voz, alta, que gosto de escrever no blog, me perco assistindo series, que sou exagerada e não gosto de jogar, que falo tocando, que abraço com o corpo, que vou ri de nervoso, que minha mãe é minha mãe e que qualquer pessoa vem depois, meus irmãos são meus amigos e meus sobrinhos são uma extensão do meu coração.

Não quero abrir mão de nenhum pedaço meu, nunca mais.

 

Borboletas?!

new

Atualizações sobre a minha inexistente, mas resistente vida amorosa rsrsrs

O homem responsável pelas borboletas. Bom ainda não nos encontramos e pelo o que eu tenho acompanhado não acredito que isso venha a acontecer. Mas ainda nos falamos, menos que no inicio e é provável que com o tempo até essas pequenas conversas terminem também.

O que eu tirei de bom foi que eu vi todas as possibilidades o fato de meus traumas, medos não serem tão fortes a ponto de me paralisar, que ainda posso viver uma outra historia e que ela pode ate dá certo.

Estou com a alma quieta e isso é bom, para não dizer raro.

Pensei que estavam mortas!!!

Borboletas no Estomago

E agora? Ele tem as belezas que eu admiro. É bom caráter, trabalhador, estudioso, corajoso e Cristão.  Que de todas essas coisas é o que mais me motiva e ao mesmo tempo de expeli.

Medo, de fato estou apavorada, por essa espera dele dizer “oi!” No zap e começarmos as nossas conversas noturnas que entram na madrugada, gosto de falar sobre Deus, sempre desejei alguém com quem eu pudesse falar sobre Deus, que já tivesse lido a Palavra e pudesse trocar comigo pensamentos. Que me abençoasse sem eu precisar motivar.

Eu estou com borboletas no estomago. Estou com medo. Porque fazia tempo que elas haviam fugido de mim, medo do hoje e mais medo ainda pelo amanhã. Medo do que realmente é a vontade de Deus, pois sei que nem eu nem ele temos o desejo de nos envolver de graça, muito pelo contrario, sinto uma necessidade de que a graça de Deus nos envolve e abençoe o que hoje não é nada. Uma amizade que eu posso manter pelo resto na minha vida.

Ele tem bagagem, ele tem cicatrizes; tem três filhas do primeiro casamento, e as magoas de um casamento que não terminou bem, não sei quais foram às marcas deixadas em seu coração, ainda não descobrir minhas próprias marcas.

Sei que tem algo mexendo dentro de mim, pois sonhei com o meu ex marido, tive medo durante a noite. Como se a qualquer momento ele fosse aparecer e pegar meu celular e perguntar daquele jeito bruto, quase quebrando a tela “quem é esse homem aqui? Você é vagabunda mesmo!!” e aquelas muitas palavras que ele dividia comigo quando eu estava fora do seu poder.

Sinal que eu realmente estou me envolvendo, acho que vou colocar o pé no freio. Não vou estancar, só desacelerar. A prudencia nunca foi meu forte, mas parece que os últimos anos me ensinaram a ser mais prudente, sempre achei a prudencia uma justificativa para pessoas medrosas se esquivarem de viver. Eu estava errada!

Ser prudente nos priva de algumas emoções boas e de outras muitas ruins.