Sobre esquecer…

luz

Eu já sabia faz um tempo, muito tempo na verdade, já que eu não tenho 15 anos, que eu descobrir que tenho uma grande dificuldade de esquecer pessoas, não guardo rancor, muito pelo contrário, nem lembro das coisas que me fizeram seguir em frente, não há magoas, raiva, ou qualquer sentimento que me faça lamentar e a falta desse sentimentos me faz sempre olhar para o passado e encontrar os meninos, rapazes e homens maravilhosos que passaram em minha vida.

Sou sim, daquelas que ouvi uma música, como essa do Caetano que estou ouvindo agora, e lembro com saudade de um tempo, dos sorrisos, do abraço e das certezas, e olha que hoje em dia nada é certo.

Lembro com saudade bonita, que é aquela saudade que não machuca, de ver um certo rapaz correr na chuva para me encontrar, ou das tardes sentados em baixo do planetário do Dragão do Mar, ou de ler compartilhando pequenos trechos, sorrisos e interpretações. Lembro do olhar, aquele olhar que sorrir quando encontra o seu, lembro do toque dos dedos, da cumplicidade de um sorriso de canto. Lembro do amor, simples sem complicações.

Lembro quando em um acampamento de férias eu cair e fiquei com um inicio de parada respiratória e mesmo buscando meu ar, eu ouvia um rapaz lá longe gritando meu nome, pois soube que eu não estava bem, lembro do cuidado, lembro do ciumes, dá dor e do medo de perder. Lembro de um rapaz que dedilhava músicas no violão, me ensinou a amar Vander Lee, pois ele que me encantou cantando, que me ofereceu o amou do jeito que ele sabia amar, e eu retribuir do jeito que eu sabia. Lembro de um menino, que me amava baixinho, e quando lembro dele, lembro da poesia de Pedro Lyra, que falava “Te amo menino, de um modo total e absoluto como todos desejam ser amados e como nunca jamais ninguém amou”. E eu amei e fui amada, lembro de como foi maravilhoso namorar meu melhor amigo e o preço foi ter que perder sua amizade. Mas valeu.

Lembro do impossível, improvável, lembro quando o cuidado me envolveu e me cegou, lembro de todas as vezes que o amor, virou dor e se transfonou em superação e depois voltou a ser amor, mais solido, sem rompantes, sem presença, só lembranças do que foi bom, depois que termina, fica em minha lembrança os motivos que me fizeram ficar por tanto tempo ao lado de uma pessoa.

Me pego pensando em quais são as saudades, as histórias, dessas pessoas que marcaram a minha trajetória com sua presença e apesar de conhecer, quais são seus desejos, medos, alergias, data de aniversário, nome de filhos, os vários tipos de sorrisos, apesar de conhecer tão intimamente, se um dia alguns deles passarem ao meu lado irei mudar a direção da visão, nossa história foi tão linda que deixou marca e precisa ser maduro para respeitar o passado do outro, entender que a vida solicitou escolhas e que temos, graças a Deus, a capacidade de amar várias vezes.

Eu os chamo de meus hoje desconhecidos íntimos, mas um dia já olhei para eles e vi o amor e é por isso que me recuso a esquecer…

Eu escolhi lembrar.

cat6

12 que eu aprendi no último ano

Sempre aprendendo e crescendo. 12 que eu aprendi no último ano

  1. O amor de Deus cura qualquer ferida. Por isso que Ele é exaltado como cuida DOR, salva DOR. É somente Ele quem cura a dor e nos salva dela.
  2. Família é a única coisa realmente permanente em nossas vidas: Não importa o que aconteça ou o que você faça, são eles que vão te ajudar a levantar a poeira e seguir.
  3. Amigos são presentes de Deus e muitos deles são promovidos para a categoria, família. Graças a Deus por eles.
  4. Que não é bom mudar por uma pessoa, clicher eu sei, mas demorei para entender a profundidade.
  5. Que  quando conhecemos a felicidade de fato, não nos contentamos com sentimentos medíocres, eles podem até satisfazer no inicio, mas você está habituado a ter o melhor, não vai se contentar com menos, sabendo que pode ter mais.
  6. Que Netflix, as vezes pode ser uma excelente companhia. São tantas series ótimas, filmes, documentários…
  7. Que quando estamos tristes o passado feliz volta com tanta força que te força a se mexer e reconstruir o que estava destruído.
  8. Aprendi a esperar por dias melhores e quando eles não chegaram eu aprendir que tinha o poder de tranformar meus dias.
  9. Aprendi que minha alma não é daqui, fica inquieta quando não muda de cenário, que sente falta de ver as nuvens por cima que sente falta de viajar.
  10. Aprendi que amo, sorrir, que sinto saudade de gargalhar, de ficar em volta de uma mesa conversando “miolo de pote” com um grupo de amigos.
  11. Que devemos lutar por nossos sonhos, mas sem perder de vista os valores que realmente importa.
  12. E uma versão repetitiva, mas que é totalmente verdadeira é melhor está só do que mal acompanhado.
girly
Valeu

Mudando

O que fazer quando não se sabe o que fazer?

mudancas

Tenho 32 anos de idade, quase 33 anos, moro sozinha, estou preste a me divorciar, trabalho em uma empresa que utiliza menos de 10% das minhas habilidades e consequentemente eu recebo menos que as minhas habilidades pedem.

Sempre fui uma sonhadora, sempre amei fazer trabalho para ajudar pessoas, mas sempre fiz disso um hobby e nunca como um meio de vida e enquanto todos a minha volta construíam carreiras profissionais eu continuava focando minha vida em ações importantes, mas que só enriqueciam minha alma e não meu bolso.

Amo cada uma das minhas muitas lembranças: sertão da Paraíba, Sertão do Ceará, visitando comunidades ribeirinhas no alto rio Amazonas. Todas essas ações enriqueceram a minha vida e minha alma de sentimentos únicos e me tornaram uma pessoa com uma noção de necessidade e sofrimento bem apurado, pelo o que eu vi e conheci em minha caminhada.

Existem vários outros lugares que minha alma inquieta deseja conhecer, existem locais que eu desejo voltar, pessoas que sonho um dia rever, mas hoje, essa época da minha vida, eu preciso seguir um novo rumo. Falo que é o meu momento capitalista, meu momento de olhar para a minha pessoa e as oportunidades que estão em minha volta.

Mas isso não quer dizer que seja fácil, simples e leve. Muito pelo contrário. Olho para os lados e penso que poderia fazer mais, porém isso demanda tempo e meu tempo agora precisa ser pensando e muito bem aproveitado. E isso é bom. Quero melhorar como pessoa, ser menos acomodada, pensar no que eu posso ser se gastar tempo e energia nisso.

tempo

Preciso me organizar financeiramente. Preciso conhecer a Europa.  Preciso conhecer Alguns países da America do Sul.  Preciso comprar roupas e sapatos. Preciso ser mais do que eu sempre fui. Um pouco mais ambiciosa, um pouco mais egoísta, um pouco mais capitalista, para que eu possa ser um pouco mais do que sou hoje. Dá pra entender?

Mas e apesar de tudo, não posso ser menos. Só tenho que encontrar o equilíbrio entre o que eu sou e o que eu posso ser e focar no alvo.

Series e a vida

escrever

Leia ouvindo: Homelands Nitin Sawhney

Eu era mais jovem e ainda não tinha assistido nem duas series inteiras, era uma época em que Felicity passava de madrugada e eu e os meus irmãos tirávamos o final de semana para assistir Heros, com pausas conjuntas para ir ao banheiro e comer alguma coisa.

Eu já tinha terminado com aquele grande amor e estava no segundo namorado que trair e quando terminamos comecei a dividir minha vida em temporadas, e nomeá-las parei de fazer isso depois da temporada das flores que foi uma temporada linda e leve da minha vida, ainda sinto saudade dessa temporada como sinto saudade de temporadas de Greys Anatomy, Felicity ou Sex and City. Sinto saudade da leveza.

Mas percebo claramente os marcos que fazem que um período da nossa vida se encerrem e não são o passar das estações, nem o passar dos nossos aniversários são simplesmente momentos que fazem nossa vida mudar o rumo.

Hoje terminei de assistir Gilmores Girls, uma serie bobinha, leve, e cheia de complicações, uma serie em que a mocinha inteligente se envolve com ex namorado que já está casado ou noivos, que se perde em meio suas certezas e depois de correr o mundo se ver espalhada e sem direção.

Conheço esses sentimentos de estar espalhada e sem direção, estou familiarizada em não ter certeza, em errar e voltar para o ponto de partida, de buscar em braços conhecidos o calor que aquece, mas não conforta, só traz mais interrogações. De olhar para frente e não enxergar as possibilidades e orar baixinho para que Deus me ajude e amplie a minha visão. De calar o medo com o sorriso, de dizer não, por orgulho, de da o próximo passo por fé apesar do medo, de tudo se desfazer em minhas mãos.

A vida, uma serie de tv, uma serie que só termina quando acaba e vou ter mais cuidado ao escrever a minha de agora em diante. Não por querer um final feliz e sim por querer uma vida feliz.

Netflix

netflix

Preste a fazer 10 anos de vida, a Netflix tem feito a cabeça, preenchido noites e finais de semana de muita gente no mundo todo. Eu era uma daquelas meninas que iam na locadora de filmes no final de semana e alugava o pacote de 10 filmes, feriados prolongados em casa, mais filmes, sempre gostei de filme, de acordo com o filmow tenho 110d3h29min de filmes/series assistidos o que são muita tempo. E preciso dizer que o Netflix tem ajudado muito.

net-1

Fiquei pensando quais os meus filmes favoritos, assim na vida, mas que coisa complicada de pensar. Corri no Filmow e fiz uma lista dos 20 prediletos, entre filmes e series.

  1. Compramos um Zoo
  2. Em Busca da Terra do Nunca
  3. Amor e Inocência
  4. Orgulho e Preconceito
  5. Da magia a Sedução
  6. As Brumas de Avalom
  7. Harry Potter
  8. Coração de Cavaleiro
  9. Casa comigo?
  10. As cronicas de Nárnia
  11. Memorias de uma Gueixa
  12. Sex and the City
  13. Games Of Thrones
  14. Greys
  15. Gilmores Girls
  16. Supernatural
  17. Merlin
  18. Nashville
  19. O Estagiário
  20. O amor não tira ferias

netflix-2

Infelizmente nem todos os filmes estão disponíveis no Netflix, o que realmente é uma pena, já que são filmes muito bons! [= Aproveitem

 

Morando Sozinha

Morar sozinha tem sido uma verdadeira loucura, não estou dizendo que é ruim, é totalmente o contrário de ruim é muito bom. Chegar em casa do trabalho, fazer qualquer coisa ou simplesmente fazer nada, sair com quem eu quiser, voltar se eu quiser. É tanta liberdade que chega um momento em que precisamos parar e pensar em como administrar toda essa liberdade que der repente ficou disponível.

porta

Que você pode sair todas as noites, mas que você não tem mais 17 anos, o corpo cansa e a mente tem que está descansada para trabalhar no outro dia e os olhos precisam está dispostos a abrir um pouco depois do sol nascer, então nada de dormir perto da hora de acordar, deixa esses momentos, para as sextas e sábados, na semana tenta chegar antes da meia noite. Pode ser síndrome de Cinderela, mas.. tem dado certo.

Cuidado com quem vai para a sua casa. Sei que nem todo mundo é como eu sou, sou o tipo de pessoa que chega em um ambiente e facilmente conhece todas as pessoas, mas não é por maldade, mas não sou boa em gravar nomes, as vezes algumas fisionomias. Mas, muita gente acredita que é “meu chegado” e quer chegar aqui em casa, com uma intimidade que eu não dei. Então, não convido todo mundo, só e muitas vezes os que não precisam de convite os que são de casa, não importa a casa, são de casa desde quando eu morava com a mãe.

Homens, gente é um assunto tenso, mas sendo eu uma mulher que mora sozinha, existe um ar de sexo fácil, sem nem precisar levar para jantar, ou mandar flores, chega chegando você faz o jantar e ainda é a sobremesa, só que não. Decidir que na minha casa trago os amigos e “os outros” ainda não são uma demanda que eu precise me preocupar no momento, mas que terei que criar regras para quando a demanda surgir.

Geladeira. Gente, essa parte é tensa, pois quando vou as compras tenho plena certeza que posso viver de mini pizza, sorvete, guaraná Antártica e leite com Toddy, mas não pode ser assim, tem que comprar arroz, macarrão, carne, frango, temperinhos, e assistir muitos videos e ler receitas para incentivar a cozinhar para um. Mas da certo, depois da primeira, na verdade lá pela terceira encontramos o equilíbrio do que é do dia a dia, e daquelas guloseimas para dias especiais e finais de semana.

Então, fique ciente que morar sozinha exige algumas regras, mas a diferença que são regras que você esta escolhendo, não existe ninguém te dizendo como ou o que fazer, é mais uma das suas escolhas.

Metas

No ano que se passou tive vários problemas de saúde, um deles foi descobrir uma hérnia de disco o que acabou com a minha qualidade de vida, pois com dor é impossível se sentir bem, mesmo que você pareça bem.

correndo

Tenho falado aqui sobre as minhas metas e uma delas, é realizar atividade física pelo menos duas vezes por semana e como eu estou em um período de contenção de despesas escolhi realizar a atividade que não vai me onerar. Vou fazer caminhada duas vezes por semana, na areia da praia, o beneficio de morar no litoral é que podemos correr na orla. Decisão tomada de correr na beira mar as quartas e sábados, com direito, no sábado a um mergulho. Isso sim é qualidade de vida, mas por enquanto esses são os planos. Mas eu já tenho: Data, local, horário, fica mais fácil ser algo real.

Lendo um pouco sobre andar na areia da praia, vi que;

A areia da praia tonifica músculos: Esfolia a pele dos pés; remove as células naturalmente, a água do mar também limpa as unhas e amolece calos e rachaduras nos calcanhares, facilitando uma limpeza profunda dos pés.

Limpa os pulmões: já que o ar da praia é rico em iodo que vem do oceano é muito bom para descongestionar as vias aéreas e proporcionar aos pulmões o abastecimento de oxigênio de que precisa para oxigenar o corpo todo.

Combate à ansiedade a depressão e melhora o humor: o sol e o mar estimulam a produção dos chamados “hormônios do bem-estar”, como a endorfina, e inibe a produção do cortisol, o hormônio do estresse.

Tirando que você perde algum peso, se associado a uma dieta balanceada, que é o meu caso, tem o benéfico de está saindo de uma vida sedentária e a possibilidade de você (eu) gostar de estar com o corpo em movimento.

Então vamos correr que a vida está voando!

O que fazer com as metas de todos os anos??

fogos

Primeiro dia do útil do ano de 2017 e essas novas páginas que nos são dadas para escrever nossa história é uma dádiva, a oportunidade de avaliar os últimos 365 dias e recomeçar. Se olharmos bem, veremos que tudo é muito simbólico, mas é um simbolismo que nos possibilita um recomeço como disse uma amiga que gosta de jogos de vídeo game, ganhos um novo “life” e nos sentimos revigorados para retomar o jogo.

Vale lembrar, nesse inicio de ano, que ter sucesso não é mesmo que ter sorte, então para concretizar os nossos sonhos teremos que dedicar tempo, dedicação e esforço.

Apesar das várias frustrações, pois quem nunca, disse que iria perder peso e acabou ganhando, ou que faria uma poupança e o ano terminou e estava com sua conta no vermelho. Dentre muitas outras metas que são até comuns para a maioria das pessoas: emagrecer, iniciar academia, terminar o curso de inglês e assim vai. Mas a grande questão é se sabemos e queremos realizar essas metas, por qual motivo elas se perdem entre março e abril?

Segue algumas dicas para você dá continuidade na realização dos seus sonhos, mas de nada adianta se você não decidir de fato que vai investir seu tempo, dedicação e esforço e ainda podemos acrescentar foco.

dardos

  1. A primeira dica é escrever todas as metas no papel, quando você coloca as metas no papel fica mais fácil de internalizar e visualizar o todo.
  2. O segundo passo é estabelecer prioridades, identificar quais as mais relevantes, o importante aqui não é a quantidade de metas, mas a qualidade com a qual elas serão realizadas. Para isso, tenha claro o seu objetivo final.
  3. Após identificar e escrever as metas de um projeto é necessário definir prazos e datas, portanto, questione: é possível? Quanto tempo será necessário?
  4. Para estipular os prazos, compare com a sua realidade e o que você pode fazer. Depois disso, SIGA!
  5. Para persistir na construção do seu futuro, recorde e mantenha sempre vivo o que te motiva. O que te levou a essa meta?
  6. Defina metas que impactem positivamente a sua vida e a dos outros ao seu redor. Pense coletivamente.
  7. Estabeleça poucas metas e concentre-se naquelas que trarão os resultados mais significativos.
  8. Experimente contar para as pessoas próximas seus sonhos e peça ajuda na realização, o suporte social é de extrema importância na efetividade dos nossos projetos.

Para realização das nossas metas, temos que ter resiliência para trabalhar as dificuldades e algumas vezes a necessidade de recomeçar. Então, não desanime no primeiro, não, na primeira jacada da dieta, no primeiro, segundo ou terceiro obstáculo, trace a meta e siga. E certamente no final de 2017 teremos metas realizadas e uma excelente sensação de tarefa cumprida.

2016, valeu, mais tchau!!

chuva

O ano de 2016 começou tenso minha avó com câncer em praticamente todo o corpo e o minha mente se preparando para perder o que sempre esteve aqui, firme como uma rocha, constante como as ondas do mar. A pessoa, que assim como a minha mãe, sempre foi uma constante em minha vida. Sem promessas, mas sabíamos ali, na saúde ou na doença, na riqueza ou na pobreza, para a vida…

Entrei em 2016 uma noiva, estava prestes a casar com um homem que me fazia bem e que me amava. Que cuidada de mim, se preocupava, que se envolveu com a minha família, que meus sobrinhos amavam.

Casei em abril e oito dias depois minha avó faleceu. Eu desejei tanto que ela me visse casada, que me visse “encaminhada”, que eu não percebi que ela sempre soube que eu estava encaminhada, demorei tempo demais para saber que fui muito bem criada por ela, que esse meu coração tem mais dela do que de qualquer oura pessoa. Mas, ela se foi e o meu marido que era um amor, mudou, me deixando cada vez mais sozinha em nossa casa, a alegria do começo acabou tão rápido que nem deu para acostumar a ser feliz. Fiquei doente a maior parte do ano, dor na coluna, seguida por catapora e na sequencia fui diagnosticada com uma hérnia de disco, tudo isso, ainda trabalhando e tendo que aguentar um marido que bebia todos os dias e me diminuía com palavras e ações.

Até que um dia, 7 meses depois do nosso casamento, eu decidir ir embora, solidão por escolha, me pareceu a melhor decisão e fui. Aluguei um apartamento, em um local seguro e próximo do que era importante para mim, família e igreja e fui, com a mala nas mãos e os meus sonhos, não realizados, carregando o pesado fardo da frustração, do que poderia ser, mas não foi.

2016 foi um ano intenso. Fiz coisas que eu nunca pensei que iria fazer, aguentei coisas que eu nem sabia ser capaz de aguentar, experimentei de uma solidão jamais imaginada em meu mundo.

2016 me tirou o que eu tinha e o que eu não tinha. Foi o ano que eu mais tive motivos para chorar, o ano de 2016 foi um ano de luto pra mim. Eu me dei e me perdi, depois tive que ser regatada. Em 2016 me afastei de todas as pessoas que eu amo, para amar uma única pessoa e quando eu voltei. Todos, fampilia e amigos estavam lá.

E quando eu pensei que havia perdido o amor, eu vi o amor, que perdoa, que ama sem esperar retorno, eu encontrei abrigo.

Cresci, talvez me faltem lágrimas, sei que ainda preciso me deixar sentir, me deixar chorar. Mas tudo tem seu tempo e espero que esse ano que vem se anunciando seja de risadas, gargalhadas, de amor verdadeiro, de sonhos realizados. Vamos ver e vamos fazer acontecer.

viagem

Boa noite,

Comecei a mexer no blog, dá uma cara mais parecida com o que eu quero, coloquei parte das minhas metas no projeto 101 coisas em 1001 dias que herdou algumas coisas que eu não realizei no último projeto. Mas, desde que eu comecei a determinar essas de 1001 dias, muitas coisas melhoram em minha vida, pelo menos eu tenho começado a realizar alumas coisas.

Já faz um mês que minha vida deu um giro e que tudo mudou, endereço, vida, estado civil… E estou começando a ter os olhos enxutos e tendo a oportunidade de verificar as possibilidades, eu amo a minha vida, mesmo colocando os pés pelas mãos pelo menos uma vez por ano, nos últimos… é melhor não contar!!! rsrs

Vou começar a fazer uns bicos e ver se entra um dinheiro extra na minha caixinha, estou começando a pagar minhas contas, minha mãe quer que eu mude para um apartamento menos e pagar 200 reais a menos, mas eu gosto tanto desse que ainda tenho uma certa resistência, quem sabe no futuro.

Minha irmã falou sobre eu viajar e visitar uma amiga na Alemanha, nem sei o que se tem para ver na Alemanha, mas tem a minha amiga suas filhas lindas e a Itália logo ali pertinho, o que já é muito bom para mim, vou ver no que dá e se der, eu vou sim em 2017, se Deus quiser.

Não sou muito de pontos turísticos, gosto de viver as cidades que eu visito. Já comecei a sonhar e isso é bom, penso nos planos de antes, e lembro que temos que ser gratos pelo hoje. E hoje, passei o dia em casa, com a família, livros, filmes, blogs, música e a vida tá ótima, teve até chuva. 😉

 E até breve, com internet tudo fica mais fácil e lindo!

cat6