Quadros DIY

Oi gente,

Mudei recentemente e estava planejando modificar dois quadros 30 x 30 que eu tinha em casa. Na verdade não gostava muito da gravura dele, mas foram dados com tanto carinho. Que ficavam pendurados em uma das minhas paredes e sempre que eu os via lembrava da pessoa linda que me presenteou.

Mas, nessa última mudança decidi reformar os quadros e para quem não sabe, trabalhei uns dois anos em uma molduraria, e aprendi umas coisinhas, mas fazia muito tempo que eu não desmontava e montava um quadro.

Mas é super simples. Você vai precisar de um estilete, mas faca de cozinha resolve, um alicate, martelo, paninho limpo, jornal, tinta spraycola e fita adesiva.

1Passo: Coloque o quadro em uma superfície lisa e forrada com um pado.

2Passo: Coloque o quadro já existente com a frente para baixo. Quando fizer isso vc verá que na parte de traz do quadro tem uma fita adesiva cor de madeira. Passe o estilete sem fazer força e você vai sentir uma parte que afunda. Passe o estilete nos quatro lados, nesse momento você irá cortar a fita e sentir onde estão os pregos.

3Passo: Tire os pregos com o alicate, (guarde esses pregos, pois vamos utilizar-los novamente) com cuidado, pois se o seu quadro tiver vidro, como o meu tinha, todo cuidado é pouco para evitar que ele quebre.

4Passo: Desmonte o quadro. Tire a madeira, que está na parte de traz do quadro, normalmente é um MDF, a gravura existente pode está colada nesse MDF ou solta. Mas isso não é relevante.

5Passo: Retire o vidro e reserve em local seguro, bem como os MDF’s

6Passo: Forre o chão com um papelão ou jornal para não fazer sujeira e pinte as molduras da cor que você achar mais adequada, eu escolhi preto, pois combinava com as gravuras e com o ambiente onde elas ficarão. Pinte uma vez toda a superfície, espere 10 minutos e dê outra demão da pintura e reserve, deixe secando por 24 horas.

7Passo: Molduras pintadas e sequinhas, hora de montar seu quadro. Pegue a cola, o MDF e a gravura da sua escolha. Passe a cola no MDF e depois coloque a sua gravura, use o paninho para retirar qualquer possível bolha.

8Passo: Com o mesmo paninho limpe os vidros

9Passo: Pegue as molduras, coloque sobre a superfície plana, sempre lembrando de forrar com um tecido, coloque primeiramente o vidro, seguido da gravura que está colada no MDF (observe se a gravura está do lado que você deseja, tendo como referencia o fixador da parede). Hora de usar os pregos que você retirou no inicio, e coloque mais ou menos no mesmo local que você retirou, nesse momento você utiliza o martelo, batidas suaves, sempre lembrando do vidro. E finaliza colocando a fita adesiva para dá o acabamento e cobrir os pregos.

Depois é só pregar na parede.

IMG_20170306_203404913
ANTES
IMG_20170307_073837584
DEPOIS

OBS: Minhas gravuras eu escolhi no Pinterest e pedi para minha prima, ajustar as medidas e imprimir em um papel grosso. Pedi para ela, pois a mesma trabalho com MKT Digital e impressões, logos, essas coisas. @studio227criando

 

 

12 posteres para alegrar sua casa

Oi, gente!

Como eu disse antes, vamos aos quadros. minha prima, Camila, ajustou as imagens que eu escolhi e imprimiu, ficaram lindos, mas ainda não estão prontos. Já, que vou reformar uns quadros que eu já possuo, presente da minha tia na época do casório e agora nesse novo momento estou na vibe de modificar e melhorar minhas coisas. Quando for fazer as montagens faço um passo a passo aqui. Aqui, estão uma seleção dos posteres que eu gostei mais, todos retirados do Pinterest que é uma rede social poderosa quando a questão são imagens e dicas. Gosto muito e estou sempre por lá.

Aproveitem para salvar.

Caixas again

dados

Nova mudança a vista, por uma questão de economia. Vi uns vídeos no You Tube sobre cortar gastos diminuído ou excluído o que não utilizamos ou não precisamos e eu pensei, no atual momento da minha vida não sou uma pessoa que desperdiça, tenho exatamente o essencial, até porque ainda não estou podendo comprar.

Mesmo assim tenho vontades de adquirir itens para decorar os ambientes da minha casa e deixar a mesma mais parecida comigo, pois as empresas de decoração estão sempre criando acessórios lindos de cozinha, quarto e sala que enche nossos olhos e esvaziam nossos bolsos, Ow God .

Então quando coloquei os meus custos na ponta do lápis a única coisa que percebi que poderia me desfazer era da garagem e da minha sala, já que não tenho carro e praticamente não utilizo o espaço da sala. Decisão tomada, fui procurar o administrador do condomínio, para verificar se eu poderia barganhar minha vaga na garagem e se teria um apartamento menor e mais barato disponível. Conseguir um apartamento no mesmos andar que o meu, menor com: sala, cozinha, quarto, área de serviço e banheiro e a minha vaga na garagem também se foi. Conseguir com isso uma boa economia que me possibilitará respirar um pouco.

Fui olhar o apartamento e me apaixonei de primeira, mais ventilado que o meu atual, fica entre duas entradas de ar, e ainda poderei dividir a internet com uma das minhas vizinhas, que é uma amiga, o banheiro é menor, mas em contrapartida é melhor dividido, a área de serviço eu poderei colocar meu varal de roupa que no outro apartamento era itinerante, rodava a casa inteira e no final das contas ficava na sala, que era o cômodo que eu não utilizava.

Agora os custos imediatos com a mudança, comprei tinta branco gelo para pintar o novo apartamento e algumas outras coisas para deixar ele pronto para a mudança. Nesse final de semana vem um rapaz pintar e desmontar e montar os meus moveis: cama, guarda roupa e armários da cozinha. Tem dois pequenos quadros que eu pretendo reformular para utilizar na cozinha. Nosso próximo post será sobre as gravuras que eu pretendo escolher e com o resultado final

(Des) Encontros

shoppingEu já te esqueci e espero nunca te encontrar, espero que nunca o elevador ou escada rolante de algum shopping tenhamos aqueles encontros, não quero, já desejei isso com todas as forças do meu coração. Te tenho nas redes sociais e em uma caixinha dentro do meu coração, você e a nossa história e não quero correr riscos de que saia qualquer luz de dentro dessa caixinha, não quero.

Hoje, em minhas redes sociais vi você com sua família em um local que eu costumo levar meu sobrinho, e fiquei pensando se em uma corrida eu me esbarro em você.

Não quero, sempre tive medo, mas hoje eu vi o quanto isso pode ser possivel. Nossas vidas mudaram os rumos e eu me mantive fiel a você e aos meus sentimentos por mais tempo do que seria saudável. Hoje eu vi que isso era possível. Minha vida seguiu a sua também, parei de contar os anos, parei de pensar em nosso encontro no aeroporto de Portugal, parei de buscar a felicidade no passado, pois precisava aprender uma última coisa com você, precisava aprender a seguir, você seguiu, eu seguir… a vida seguiu e já fazem tanto tempo e vejo você tão feliz e isso me alegra a alma. Pois, o tempo passou… mas minha alegria em te ver feliz é a mesma. Só não me encontra, nem que seja sem querer, mas se me encontrar sorrir com os olhos, que eu vou sorrir com os meus, mas prefiro ser uma estranha do que encarar o fato que você tem tudo o que a gente sonhou e eu ainda estou aqui.

Por mim. ​

florSou uma daquelas crianças que cresceram ouvindo Sandy e Junior, e que agora depois de adulta, ainda gosta da voz da moça e das letras tão cheias de histórias, fui embalada por muitas de suas músicas a vida inteira, sonho com “ELA / ELE”, “PÉS CANSADOS”, “MORADA”, “AQUELA DOS 30” e agora estou apaixonada por uma música que ela lançou junto com o Tiago Iorc “ME ESPERA”. Não que tenha alguém em esperando, muito pelo contrario, nada me espera de volta.
Quando eu ouvir essa música pela primeira vez pensei no meu Deus, é Ele quem me espera, é Ele que me ver no temporal, é Ele que soube que eu iria, mas que tão logo voltaria e Ele como o pai faz com o filho, esperou. Quando eu perdi em minhas próprias ilusões, quando o vento me turvava a visão, quando eu perdi o foco, quando eu não conseguia seguir.
Do alto me veio a força necessária para voltar, pois eu sabia que Ele me esperava. E me amaria.
Se vou ter um dia um amor como esse aqui, não sei, não faço a minima ideia. Estou feliz por ter sido perdida e salva, estou feliz pois apesar dos pés cansados, tenho morada, e apesar de ser aquela dos 30 e as cobranças ainda existirem, eu sigo, serei uma tia feliz, uma irmã realizada, uma filha que ama e é amada, serei o melhor de mim, pois apesar de tudo, todas as dificuldades eu sei que vou superar, pois o pior o mais difícil já passou e eu quero ser feliz, hoje. Por mim.

Amiga

labidaAcho que perdemos a sitônia a confiança cega, que eu seguia. Eramos diferente, eramos únicas, você era minha “Cristina”, você que chegou e eu nem sei bem a hora que te vi aqui para sempre, não sei em qual momento desses 9 anos que você se tornou minha amiga, minha confidente, minha pessoa, que eu liguei quando precisei de um resgate.

Apesar de sentir que nossa sitônia se perdeu, sou daquelas que acredita que com um pouco de esforço, conseguiremos compor uma sifônia, mas hoje… hoje eu preciso reaprender quem é você. As vezes eu penso que esses dois anos em que eu estive fora e que não compartilhamos tão plenamente nossas vidas, você mudou tanto, mudou tudo e eu não gosto de algumas coisas que você mudou e eu fico pensando o que fazer? Acostumar, com o diferente, acostumar com o novo “tu”.

Saudade da menina que você era, saudade da sede que você tinha de Deus, de conhecer e crescer, saudade dos teus antigos amigos e das tuas amigas de infância. Fico pensando se eu tenho insistido em ficar enquanto sou apenas mais uma das tuas amigas que ficaram no passado.

Não sei dizer, mas sinto saudade da minha amiga, mesmo sabendo que quando estamos eu e você as coisas são iguais. Não sei o que fazer, só sei que tá meio doido, sei que vou me afastar e te dá o direito de ser quem você deseja ser e estarei aqui, quando esses forem passado, eu sei que continuarei ser presente, pois nesse 9 anos, caminhando lado a lado, não temos aberto mão de ser presentes na vida uma da outra. E eu espero que continue assim. =Dowl

 

Sem pressa

cafeAmo os finais de semana, sou do tipo que dança assim que acorda, um sambinha bom ao som de Chico Buarque, abri a geladeira e poder escolher o que vou fazer para o café da manhã, fazer cafe forte e pegar goma de tapioca colocar na frigideira e esperar a mágica acontecer, a goma ganhar liga e se unir e rápido o café da manhã tá pronto.

Sentar na mesa com café, café que as vezes, outras suco, mas sentar e comer sem pressa, sem precisar está em outro lugar. É assim que eu gosto do meu café, nem forte, nem franco, gosto do café sem pressa, gosto de ler de assistir e se tiver outras pessoas gosto de conversar, quem sabe até a hora do almoço, era assim lá em casa, nossos momentos de café da manhã eram regados de conversa, risadas, sonhos, noticias, opiniões, sorrisos, alegria, comunhão.

Acredito que por isso eu ame tanto o momento de sentar na mesa e comer, comer desarma é algo que fazemos com as pessoas que queremos bem.

Todos os meus sábados e alguns domingos são assim, felizes, aqui ou na mãe ou na casa de um dos meus irmãos é algo que aprendemos e que cada valoriza, cada um do seu jeito.

 

Em+Frente

mm

Sou filha de pais separados e neta de avós separados, fui criada ouvindo que o meu marido se chama trabalho e que não existe nada melhor do que ser independente.  Cresci tendo medo de boneca e amando correr e brincar na rua. Brincar de casinha nunca foi o meu forte.

Dei meu primeiro beijo com um menino que pensava que me enganava com a minha melhor amiga, mas na verdade eu e ela estávamos aprendendo a beijar e ele estava ali, disponível, na época eu tinha 13 anos e meu primeiro beijo foi no dia dos namorados, mas não houve nada de romantismo, foi na verdade bem didático e bom. Depois que conseguimos o que queríamos eu e minha amiga terminamos com ele simultaneamente, acho que ele não gostou muito, ninguém gosta de ser enganado.

Me apaixonei, várias vezes, dei outros beijos, mais interessantes. Aqueles beijos que fazem nosso coração saltar de ansiedade e felicidade. Até que conheci meu primeiro namorado, eu tinha 15 anos, e já havia beijado algumas pessoas. E agora escrevendo isso percebi que não lembro do meu primeiro beijo com ele, mandei um zap para ele perguntando e ele lembra e já fazem 18 anos, o primeiro amor é sempre marcante. Eu lembro com  nitidez do último, mesmo que na época eu não esperasse que fosse o último, mas foi e eu vi meu coração partido, pela primeira vez sentir aquela dor complicada de descrever, a dor de não ter.

Seguir em frente e 15 dias depois ele me pedia para voltar, aos 16 anos eu era uma criatura mais orgulhosa. Depois dele tive outros bons namorados, e com todos os outros eu terminei, até eu namorar um rapaz mais jovem e para ele dá meu coração, ele era meu melhor amigo, e hoje depois do fim, lamento só não poder tê-lo em minha vida.

Sempre me considerei muito seca sentimentalmente, meio homem quando se trata de ficar e não me envolver, ainda hoje consigo ficar com uma pessoa, sem que meus sentimentos sejam envolvidos, consigo seguir sem olhar para traz. Consigo lamentar sem dramatizar, seguir em frente, pois na vida temos que enfrentar o que vem e não lamentar o que passou. Em frente e enfrente.

Sobre esquecer…

luz

Eu já sabia faz um tempo, muito tempo na verdade, já que eu não tenho 15 anos, que eu descobrir que tenho uma grande dificuldade de esquecer pessoas, não guardo rancor, muito pelo contrário, nem lembro das coisas que me fizeram seguir em frente, não há magoas, raiva, ou qualquer sentimento que me faça lamentar e a falta desse sentimentos me faz sempre olhar para o passado e encontrar os meninos, rapazes e homens maravilhosos que passaram em minha vida.

Sou sim, daquelas que ouvi uma música, como essa do Caetano que estou ouvindo agora, e lembro com saudade de um tempo, dos sorrisos, do abraço e das certezas, e olha que hoje em dia nada é certo.

Lembro com saudade bonita, que é aquela saudade que não machuca, de ver um certo rapaz correr na chuva para me encontrar, ou das tardes sentados em baixo do planetário do Dragão do Mar, ou de ler compartilhando pequenos trechos, sorrisos e interpretações. Lembro do olhar, aquele olhar que sorrir quando encontra o seu, lembro do toque dos dedos, da cumplicidade de um sorriso de canto. Lembro do amor, simples sem complicações.

Lembro quando em um acampamento de férias eu cair e fiquei com um inicio de parada respiratória e mesmo buscando meu ar, eu ouvia um rapaz lá longe gritando meu nome, pois soube que eu não estava bem, lembro do cuidado, lembro do ciumes, dá dor e do medo de perder. Lembro de um rapaz que dedilhava músicas no violão, me ensinou a amar Vander Lee, pois ele que me encantou cantando, que me ofereceu o amou do jeito que ele sabia amar, e eu retribuir do jeito que eu sabia. Lembro de um menino, que me amava baixinho, e quando lembro dele, lembro da poesia de Pedro Lyra, que falava “Te amo menino, de um modo total e absoluto como todos desejam ser amados e como nunca jamais ninguém amou”. E eu amei e fui amada, lembro de como foi maravilhoso namorar meu melhor amigo e o preço foi ter que perder sua amizade. Mas valeu.

Lembro do impossível, improvável, lembro quando o cuidado me envolveu e me cegou, lembro de todas as vezes que o amor, virou dor e se transfonou em superação e depois voltou a ser amor, mais solido, sem rompantes, sem presença, só lembranças do que foi bom, depois que termina, fica em minha lembrança os motivos que me fizeram ficar por tanto tempo ao lado de uma pessoa.

Me pego pensando em quais são as saudades, as histórias, dessas pessoas que marcaram a minha trajetória com sua presença e apesar de conhecer, quais são seus desejos, medos, alergias, data de aniversário, nome de filhos, os vários tipos de sorrisos, apesar de conhecer tão intimamente, se um dia alguns deles passarem ao meu lado irei mudar a direção da visão, nossa história foi tão linda que deixou marca e precisa ser maduro para respeitar o passado do outro, entender que a vida solicitou escolhas e que temos, graças a Deus, a capacidade de amar várias vezes.

Eu os chamo de meus hoje desconhecidos íntimos, mas um dia já olhei para eles e vi o amor e é por isso que me recuso a esquecer…

Eu escolhi lembrar.

cat6

12 que eu aprendi no último ano

Sempre aprendendo e crescendo. 12 que eu aprendi no último ano

  1. O amor de Deus cura qualquer ferida. Por isso que Ele é exaltado como cuida DOR, salva DOR. É somente Ele quem cura a dor e nos salva dela.
  2. Família é a única coisa realmente permanente em nossas vidas: Não importa o que aconteça ou o que você faça, são eles que vão te ajudar a levantar a poeira e seguir.
  3. Amigos são presentes de Deus e muitos deles são promovidos para a categoria, família. Graças a Deus por eles.
  4. Que não é bom mudar por uma pessoa, clicher eu sei, mas demorei para entender a profundidade.
  5. Que  quando conhecemos a felicidade de fato, não nos contentamos com sentimentos medíocres, eles podem até satisfazer no inicio, mas você está habituado a ter o melhor, não vai se contentar com menos, sabendo que pode ter mais.
  6. Que Netflix, as vezes pode ser uma excelente companhia. São tantas series ótimas, filmes, documentários…
  7. Que quando estamos tristes o passado feliz volta com tanta força que te força a se mexer e reconstruir o que estava destruído.
  8. Aprendi a esperar por dias melhores e quando eles não chegaram eu aprendir que tinha o poder de tranformar meus dias.
  9. Aprendi que minha alma não é daqui, fica inquieta quando não muda de cenário, que sente falta de ver as nuvens por cima que sente falta de viajar.
  10. Aprendi que amo, sorrir, que sinto saudade de gargalhar, de ficar em volta de uma mesa conversando “miolo de pote” com um grupo de amigos.
  11. Que devemos lutar por nossos sonhos, mas sem perder de vista os valores que realmente importa.
  12. E uma versão repetitiva, mas que é totalmente verdadeira é melhor está só do que mal acompanhado.
girly
Valeu