Metas 2017

Metas 2017
101 coisas em 1001 dias

Aqui no blog, em meu e-mail e na porta do meu guarda roupa tenho escritas minhas metas, não são bem metas de um anos, na verdade tem uns seis anos que sigo um projeto que são 101 coisas em 1001 dias e até agora tem dado certo, são poucas as coisas que não realizo o que é muito bom. No inicio de 2017 eu prometi para minha pessoa que seria um ano memorável, que eu iria viver e realizar coisas que melhoráriam minha vida, meus relacionamentos, meu trabalho.

Algumas coisas são bem bobas, principalmente quando se trata de compras e outras são bem serias e que terão impactos no futuro.

Mas posso dizer que esse nove meses de 2017 tem sido um ano de realizações. Um ano bom de se viver. Não quero dizer fácil, mas com grandes e pequenas coisas realizadas.

Minha família tá bem, estamos unidos, meus amigos estão mais próximos, tenho corrido atrás da minha saúde, minha casa tem ficado cada dia mais com a minha cara, meu sorriso tem tudo haver comigo, tenho mais controle dos meus sentimentos, o que passou ficou no passado, graças a Deus.

Finalmente, depois de um processo cirúrgico, estou perdendo peso e tendo que me render a uma reeducação alimentar, enfrentei meu medo de dentista, fui na mastologista… meu dinheiro tá direcionado para coisas que de fato eu preciso, claro que vez por outra eu pedia um sushi que não estava nos planos, mas ninguém é de ferro.

Ainda tenho muito o que realizar, mas o que me deixa feliz e grata é que existe poucos motivos para lamentar, muito o que se sonhar. Posso afirmar que não sou a rainha do foco, mas as coisas estão mudando e mais uma vez tenho que dizer que sou grata a Deus por isso.

 

Anúncios

Bariátrica – Dieta Liquida e pastosa

506499111389828acf6e2e9c3dbbb9f2

Passei 10 dias na dieta liquida e no momento estou no 20 dia de dieta pastosa. E sim, não é fácil e olha que eu me considero tranquila.

Dieta liquida

Minha dieta liquida eu podia beber: água de coco (natural), Gatorade, caldo de feijão, chás, sucos, sopas. O fato de você não sentir fome ajuda bastante nessa fase, pois mesmo bebendo pouco você não sente fome, mas a vontade de comer já é outros quinhentos.

Água de coco eu adoro, dava vontade de tomar mais do que o permitido. Gatorade eu tomava que nem remédio, caldo de feijão era o que há, mesmo coado no pano, dentro da minha cabeça foi o que manteve de pé. Os sucos que eu tomei foram os de melancia, melão e arrisquei o de maracujá, mas fiquei com azia e suspendi. Os chás eu não aguentava me fazia sentir que estava doente então só tomei quando estava no hospital, as sopas deliciosas, minha mãe que preparou e ela teve todo o cuidado de mudar os temperos e os sabores, tomei sopa de frango carne e peixe. Todas deliciosas, graças a Deus e minha mãe.

Todas essas comidinhas são liquidas coadas, mas preserva o sabor. Não é ruim e passa e você fica desejando a pastosa, mas quando chega pertinho de começar a pastosa me bateu um medo, medo de sentir dor de entalar de qualquer coisa, só medo.

Na pastosa a vida fica um pouco mais emocionante e ao mesmo tempo lenta, medo de entalar, mastigar devagarinho, querer comer e sentir o sabor, mas o processo é tão lento que você perde o gosto de comer, a comida chega quente e no meio da refeição já esfriou, pelo menos eu, passo bastante tempo para terminar de comer e isso desestimula, mas é bom, comer pão de leite e mastigar, gente mastigar é bom demais

Minha dieta pastosa, tá feliz, sopas processadas que eu sempre gostei, purê de batatas, arroz molinho, carne, frango, essas coisas… sucos, o Chá de Hortelã já aceito na dieta ovo cozido e aos poucos a vida começa a voltar para o local que você quer.

Vale dizer que até agora não entalei, nem sentir dores, mas sigo a risca as recomendações da nutricionista e da fonoaudióloga referente a alimentação e mastigação.

E que você olhando pode pensar que é fácil, mas temos que ter a cabeça muito no lugar, pois não comemos sozinhos, eu na verdade nem gosto de fazer minhas refeições só e você tem que ver as outras pessoas comendo o que você não pode nem pensar em comer no momento, oferecendo coisas para você, pois elas sabem que você gosta e as pessoas não são obrigadas a lembrar que você realizou um processo cirúrgico, mas eu sim, preciso lembrar e recusar com um sorriso.

Esse final de semana minha família se reuniu e as refeições foram fartas e de coisas que eu gosto muito, por ex: tapioca, bruaca, pão com ovo ou pão com mortadela, macarronada e pra terminar um churrasco. Então, não não é fácil se você desejar manter as pessoas por perto. A escolha de fazer a cirurgia foi nossa e quem enfrenta as consequências dessa decisão somos nos.

Trabalho

cropped-computador.jpg

Nem tudo são flores nesse momento da minha vida. estou com 19 dias que realizei minha cirurgia, meu médico me deu 30 dias de licença médica, mas terei que voltar antes e por isso diminuir meus dias de atestado, nessa sexta retorno ao trabalho e volto bastante preocupada, pois minhas chefes diretas estão bastante insatisfeitas por eu ter realizado esse procedimento cirúrgico, pois apesar de melhorar a minha qualidade de vida a minha ausência no trabalho não tem sido bem tolerada.

Preciso do trabalho e gosto de lá, pessoas, pacientes, amigas e colegas de trabalho e sou completamente fascinada pela empresa que me deu oportunidade e que é linda em sua estrutura e no fato de investir em seus colaboradores, mas no meu setor as boas práticas ainda não chegaram, logo não fazem parte da minha realidade e o desejo do meu coração é mudar de setor e para mais perto onde todas as coisas acontecem, tenho estudado para não parar de crescer, mas não sei como será meu retorno. Espero que seja bom e feliz, mas receio que não será. Vamos ver.

Atualizações

Estou com com 14 dias desde que realizei a cirurgia e pedir 9 quilos, eu na verdade, não os percebo, acredito que da mesma forma que não percebi que estava tão gorda, não tenho percebido a perda do peso, mas deixo e sorrio quando as outras pessoas percebem. A dor na coluna ainda está aqui, não tão intensa, mas aqui e como não posso está tomando anti-inflamatório tenho que me aguentar como dá e tem dado, graças a Deus.

Ontem comi batata doce e eu acho, não tenho certeza, me fez mal, fiquei com uma dor no estomago até hoje pela manhã e hoje eu decidi diminuir a quantidade de comida para ver se a dor passava e falei com o meu médico, vamos ver o que ele vai responder, amanhã eu e a família inteira vamos para a casa da Taíba, na verdade, dessa vez eu não queria muito ir, mas estou dependendo e isso faz com que você dance conforme a música, então vamos para a Taíba e sim lá é lindo e tem o ninho de corujas, mas para uma pessoa que não pode sair de casa o que a gente gosta mesmo é de sossego e uma boa internet. Vou levar uns livros e ver no que dá.

Vontade de voltar para casa, dormir na minha cama, brincar com a minha gata. Mas, ainda não é o tempo de voltar. ainda falta uns dias… dia 15/09 volto para o trabalho, o que me faz lembrar de um niver especial do dia 14/09, mas, assim como nos últimos anos, eu só faço uma oração para que Deus continue cuidando… a vida segue e se segue.

Não sei se ando sentindo medo ou ansiedade pelo o que vem por aí, só sei que em meu coração sinto que muitas boas mudanças estão por vim. Eu acho que eu mudei… essa é a verdade.

 

Bariátrica II

Depois da primeira noite já me sentir melhor, ainda com dor no peito, ainda sem comer (ha ha ha) e sem beber nada. Médico veio pela manhã e foi super atencioso conversando comigo e dando atenção para a minha mãe e para minha tia. Nessa conversa ele disse que minha cirurgia complicou um pouco devido ao tamanho dos meus orgãos que eram muito maiores que o esperado e que isso dificultou o desenvolvimento da cirurgia e por isso motivo eu tenho mais furinhos que o esperado foram feitos 7 furinhos na minha barriga.

Ele não liberou aguá ainda, mas eu posso molhar os lábios com água. O que para mim foi excelente, pois estava muito ressecado, apesar de está no soro direito. Lá no hospital, estava tomando tramal, se sentisse dor; profedine e um remédio para náuseas e outro para gazes. Todos através do soro.

Iniciei as caminhadas no corredor, fisioterapia respiratória e os cochilos eterno. Depois da fisioterapia respiratória minha dor no peito diminuiu muito, graças a Deus, e a Dra. Cintia, muito linda e fofa a fisioterapeuta e ela recomendou a compra de um aparelho chamado Respiron, vou colocar a foto no final do post.

Infelizmente meu Respiron só chegou no final do dia e eu já havia tido minha outra sessão de fisioterapia. Ficou para o outro dia.

A boite praticamente não dormir, pois tinha muita vontade de ir ao banheiro e ficava acordando a minha tia direito para me ajudar a levantar da cama, mas com relação as dores e mal estar já estava bem melhor.

11639832_1GG
Respiron R$ 48

Bariátrica

Perda-de-peso-após-cirurgia-bariátrica-pouco-se-deve-à-restrição-na-ingestão-de-alimento

Depois de correr atras de todos os laudos, depois de muitas idas e vindas no médico. Chegou o dia da minha cirurgia, estava agendada para ás 17 horas, mas desci para o centro cirúrgico ás 18h. Assim que cheguei fui falar com o meu cirurgião e fui para a sala, chegando lá , a anestesista conversou comigo aplicou uma injeção e eu apaguei, quando acordei já estava na sala de recuperação.

O pior momento ate agora foi exatamente esse, eu não sabia quanto tempo eu fiquei em cirurgia, mas sabia que já era mais de 22 horas, meu peito doía bastante, minha barriga doía bastante e junto com tudo isso uma náusea desgraçada. Mas, mesmo quando eu tentava provocar não saía nada porque não havia nada no meu estomago, estava há mais de 10 horas sem comida ou aguá. Me sentir muito mal e graças a Deus as meninas me atenderam com muita paciência e cuidado, meu médico veio conversar comigo e depois disse que ia falar com a minha mãe que estava no quarto e certamente estava bastante preocupada.

Ainda na sala de recuperação percebi que tinha um aparelho de pressão no meu braço direito e que nas minhas pernas até o joelho estavam envolvidas com um tipo de meia que inflava e comprimi minhas pernas, tinha um oxímetro no meu dedo verificando saturação e aquelas ventosas para realizar eletrocardiograma.

Voltei para o quarto três horas depois, cheguei no quarto eram 2:15 da manhã e minha mãe muito legal que ela é, me colocou para caminhar e assim me livrar dos gases. Minha noite foi terrível, muita dor no peito, um desconforto e ânsia de vomito.

No próximo post falo dos outros dois dias.

Ex – 2006

Esses dias estava procurando uma foto entre os meus e-mails e encontrei uma foto nossa tirada no carnaval de 2006 no Morro Branco era seu aniversário e eu estava no canto mais caótico da nossa cidade por causa de você, passei o dia ali, as pessoas escolhendo a velocidade do Greeeuuu que queriam dançar e eu pensando na música “Eduardo e Mônica” aquela parte que diz: “festa estranha com gente esquisita” sua gente era muito esquisita para mim e a minha era muito esquisita para você, mas mesmo assim estávamos juntos.

Eu me apaixonei por você sem ao menos perceber, não era para ser, mas foi e ficamos juntos mais tempo que um dia poderíamos ter imaginado, mas ficamos, eu engolir coisas e você também. A gente gostava da gente e gostávamos das nossas famílias, você adorava minha irmã, na verdade vocês eram bem parecidos, você era amigo do meu irmão e se duvidar ele ainda te considera um amigo.

Você foi meu namorado, meu anjo, como eu costumava te chamar, meu filho, meu querido. Meu Deus eramos tão novos, tão imaturos, você com a sua bebida e eu com a minha carência e vontade de chamar atenção. Com o tempo, fomos nos degladeando e nos destruído.

esperando aviões

Eu amava nossas tardes no teu quarto, violão, vinho, música boa, eu e você, era uma bela bolha, nossos cinemas, nossas tardes com a família. Não gostava das bebedeiras, das drogas, dos sustos… era tudo novo para mim e eu não queria ser parte daquilo, daquelas cenas, e íamos embora, só muito depois do fim eu soube que você fazia mais que olhar, mas eu sabia quem você era e você não era um viciado não naquela droga. O teu problema era o álcool e como ele te conduzia a destruição.

Eu me apaixono por pessoas lindas, com profundos problemas. Você foi um presente em minha vida, me deu força, me incentivou, como nunca, namorado nenhum fez, você acreditou em mim assim como a minha família acredita e eu sou grata por isso.

Eramos tão novos e com tanta vida pela frente. Hoje eu sei que você tem uma família e eu sei que apesar de saber que você ainda é uma pessoa maravilhosa eu também sei que você não mudou, alguns hábitos nunca mudam e você não deixa rastros, outra coisa de que eu sou muito grata, só soube das traições muito depois do fim.

Você era bom. Você poderia ter sido o melhor, O último, Eu poderia ter te dito os votos que você tanto queria. Mas no meio do caminho, já não havia eu e você. E por isso terminou, ainda sentir tua falta por meses depois do fim, eu vivia, eu sorria, eu estudava e a saudade me acompanhava, lembro dos nossos e-mails e conversas. Mas, não havia o que salvar.

 

 

Saudade

Me peguei pensando sobre coisas, pessoas, cidades, momentos… Como eu amo a minha caminhada, como eu amo, cada decisão certa ou errada que eu tomei, essas minhas decisões me fizeram conhecer pessoas únicas, eu vi Deus cuidando, Deus falando, eu vi Deus tanta e tantas vezes. E, hoje no dia da saudade, vou falar de saudade boa.

As duas saudades mais profundas são do meu Avô, o único homem que soube me amar, na simplicidade de um sorriso da chegada acompanhado de um sorriso de canto da despedida e das promessas e planos para nossos próximos encontros. Cresci e precisava do abraço forte e do conforto certo,mas não deu, faz tempo que dessa saudade me sobra .  A outra é minha avó, vixi, Dn. Chica, meu “31 salve todos” minha fortaleza, meu exemplo, meu engole o choro, ela me ensinou a valorizar minhas lágrimas e meus sentimentos a ser mais fria e mais forte. Morreu, sofreu, sofreu e mesmo em meio a dor cantou, orou e agradeceu a vida. Lição em cima de lição.

Tenho saudade do que ainda está por vim, saudade da vida, não com ansiedade, só saudade. Das histórias que eu ainda vou contar… sinto saudado do que ainda não veio.

Vou fazer a Bariátrica!

73670ae91b3fd456520f2f0ce8ac4a2b

Finalmente minha cirurgia foi marcada, será na segunda feira a tarde. E eu acho que essa era a hora que eu começo a ficar ansiosa, mas não estou, e eu fico pensando se a ficha caiu de verdade. Se eu me toquei que desse momento em diante eu terei que mudar todo o meu estilo de vida e não estou super valorizando a situação. Sou gorda, mas já fui magra e engordei porque adoro comer coisas gordas, gosto de pizza sim, mas ninguém come pizza todos os dias, mas macarrão com molho branco ou molho vermelho sim, sopa de batata com cebola, leite com achocolatado com pão com queijo, tapioca com ovo, refrigerante acompanhando todos eles. Sushi, carne, sanduba, waffes com nutella, nutella, sorvete com Karo… e minha lista vai longe… eu sei que o que engorda não é o almoço, mas todas as outras refeições.

Lendo minha dieta para os próximos 10 dias em que basicamente vou me alimentar de líquidos coados: sucos, chás claros, sopa… e Depois são mais 15 dias de dieta pastosa… e desse dia em diante tenho que respeitar meus horários de refeição, para evitar mal estar.

Vou expor meu corpo ao um trauma cirúrgico para que eu consiga, finalmente, respeita-lo e cuidar da minha saúde. Muita gente já me falou dezenas de coisas que poderiam me fazer desistir, mas o que muita gente não entende é que acima de qualquer coisa eu não estou me submetendo ao uma cirurgia bariátrica porque não consigo me olhar no espelho, eu gosto da minha pessoa, gosto muito por sinal, mas o que eu não gosto de verdade foram as vezes que eu acordei e fui paralisada pela dor da minha coluna, ou de todos os dias que eu só conseguia andar curvada, pois ficar ereta doía mais do que eu suportava, por chorar ou ver uma pessoa espirrar , pois eu sabia que não podia espirrar, tossi, entalar, pois a dor era paralisante, sim, foi e é complicado, não sou de reclamar, não sou de ficar de cara fechada porque o meu corpo está dolorido, mas mesmo assim fui grossa com pessoas queridas, pois depois da fisioterapia eu tinha que trabalhar e quando chegava no trabalho eu estava com tanta dor que não me sentia capaz de ser legal e depois tinha que pedi desculpa, pois a dor era minha e eu era quem precisava lidar com ela. Quando viver doí e alguém te oferece uma opção que não é operar sua coluna, não tem como fazer outra coisa a não ser realizar.

E é isso que eu estou fazendo, terei que abandonar coisas bem legais, mas em contra partida, poderei pensar em viajar, poderei pensar em subir escadas com peso das minhas compras sem ter que tomar um rémedio para dor, poderei pensar em ter filhos, em descer do insano de colocar meus sobrinhos no braço e brincar com eles… são tantos benefícios e esses são APENAS os associados a minha coluna ainda tem o beneficio adicional da perda do peso, por exemplo: cruzar as pernas, sentar em cadeiras de plastico e não passar o tempo todo pensando que vai cair, não entalar em cadeiras ou em catracas de ônibus e por ai vai, não ser ponto de referencia, poder usar biquine, eu amava…

A cirurgia é um risco, eu sei! vou ter que mudar minha rotina, eu sei! Vou sofrer, eu sei! Vou passar por situações de panico, eu sei! Porém eu também sei de todas essas essas coisas que eu descrevi aqui e muito mais, por isso estou trabquila, mas eu entendo quando todas as pessoas me perguntam as suas dúvidas e me passam os seus medos, elas não sabem o que eu sei.

Vou fazer a bariátrica e estou feliz por saber das privações que não vou mais precisar viver!

 

Eu vi uma coruja!

Coruja buraqueira (2)
Coruja buraqueira – Taiba

Quando eu era criança, por um motivo que eu nunca vou entender as corujas eram sinal de mal agoro e quando elas passavam por cima das nossas casas gritávamos “viva os noivos” para não acontecer nada mal aos moradores dessa casa e claro que eu gritei várias vezes já que eu morei a maior parte da minha vida pertinho do maior cemitério de Fortaleza.

Cresci e em algum momento me apaixonei por corujas, tenho várias espalhadas pela cada, brincos, pulseiras, colares, as corujas viraram o presente predileto e certo de todos os meus amigos.

Mas depois de adulta foram poucas vezes que eu vi corujas. Esse final de semana eu vi e ouvir as corujas, elas voavam e ficavam paradas no muro durante a noite e durante o dia, ficavam pertinho do seu ninho, cuidado para outras corujas pudessem rasgar o céu com o seu canto, com o seu grito e o que para alguns trazem medo, para mim traz um sorriso, por saber que elas estão ali, livres apreciando a noite, o vento, a vida…

Fico pensando se o amor está para mim, assim como as corujas, algo que eu tenho guardado que eu observo, que guardo de lembrança mas que nunca tive nas mãos, só observo e admiro. Um sentimento que na infância me dava medo, pois lembrava das lágrimas que várias mulheres que eu amo derramaram por amar quem não queria ficar. Lembro das minhas promessas para o espelho de não amar. Quando criança pensamos que mandamos nos nossos sentimentos.

Estive envolvida por vários sentimentos, mas amor… o amor nunca veio, por isso nunca ficou. Tenho minhas poesias, meus romances, minhas belas histórias de amor, assim como tenho minhas estatuetas, pelúcias … de corujas, sei que existem, já vi de longe, mas nunca as tive em minha vida de fato.

Quem sabe um dia, eu tenha um ninho de corujas em um terreno, e mesmo que não as possua elas sintam que podem ficar ali. Quem sabe um dia o amor apareça e mesmo podendo ir para qualquer lugar ele queira ficar… quem sabe?